SABER E SAÚDE

DICAS DE SAÚDE PARA VOCÊ

TPM Tensão Pré Mentrual

Tensão Pré

TPM Tensão Pré Mentrual O diagnóstico da TPM é clínico, e é feito pelo ginecologista a partir da descrição do quadro de sintomas pela paciente. Em casos mais graves, como na Síndrome Disfórica Pré Menstrual, o ginecologista pode contar com ajuda do psiquiatra para tratamento e melhora dessas condições. No dia a dia, é importante que a paciente adote algumas mudanças no estilo de vida. “Manter uma alimentação saudável, com boa hidratação e uma rotina de exercícios físicos é essencial para aliviar os sintomas pré-menstruais. Também recomenda-se evitar a ingestão excessiva de gorduras, sal, açúcar, álcool e cafeína, que podem desencadear ou agravar o quadro”, finaliza o ginecologista.

Os sintomas mais característicos da TPM são enjôos, irritabilidade, cansaço e inchaço stomach, mas a intensidade varia de acordo com cada mulher, o que também influencia o tratamento indicado pelo ginecologista. Todo homem sabe que é melhor não mexer com as mulheres durante o período da tensão pré-menstrual, a famosa TPM. A Síndrome da Tensão Pré-Menstrual, popularmente chamada de TPM, é uma das queixas mais comuns entre as mulheres.

As cólicas menstruais são sintomas muito comuns entre mulheres nesse período, porém a paciente deve estar atenta se tem apresentado cólicas sempre na mesma intensidade, ou se as cólicas estão se agravando a cada menstruação. Enquanto a TPM pode atingir até seventy five % das mulheres, existe uma condição mais grave e exacerbada de TPM que atingiria de 3% a 8% apenas delas, trata-se da Síndrome Disfórica Pré-Menstrual.

Mas também existe uma relação entre baixos níveis de serotonina e o transtorno disfórico pré-menstrual.

  • “Há mulheres, inclusive, que podem ter TPM durante um período da vida e depois parar naturalmente de apresentar os sintomas ou o contrário, outras nunca sentiram nada e, de repente, começam a vivenciar as reações típicas”, esclarece.
  • Nestes casos, é recomendado procurar um ginecologista para iniciar o tratamento adequado, que diminua as alterações sentidas nessa fase do ciclo menstrual.
  • Felizmente, o tratamento da TPM com medicamentos e mudanças no estilo de vida pode ajudar as mulheres a controlar essas dificuldades emocionais.
  • A síndrome pré-menstrual afeta uma alta porcentagem de mulheres em idade fértil, com muitas mulheres sentindo alterações de humor nos dias anteriores à menstruação.
  • A tensão pré-menstrual (TPM) é um conjunto de sintomas físicos e psicológicos que surgem vários dias antes e geralmente acabam algumas horas após o início da menstruação.
  • Além disso, é importante ter uma alimentação com pouca cafeína e sal, pois podem piorar os sintomas.
  • TPM é a abreviação de Tensão Pré-Menstrual ou Síndrome Pré-Menstrual (SPM), e se caracteriza pelo conjunto de sensações que ocorrem cerca de 10 dias antes do início do ciclo menstrual.
  • Segundo dados do Ministério da Saúde, a TPM atinge mais de 70% das mulheres brasileiras.
  • O transtorno disfórico pré-menstrual é uma forma de TPM na qual os sintomas são tão graves que interferem no trabalho, nas atividades sociais ou nos relacionamentos.
  • E enquanto os sintomas menstruais, como irritabilidade, raiva e alterações de humor são um problema mensal para a maioria das mulheres, a TPM grave pode ser emocionalmente debilitante para alguns.
  • Quando ocorrem de forma extrema, os sintomas da TPM podem prejudicar as relações pessoais e profissionais, pois quem convive com uma mulher de TPM acaba sendo afetado pelo desequilíbrio.

Esses medicamentos são mais eficazes na redução da irritabilidade, depressão e outros sintomas da TPM. O distúrbio disfórico pré-menstrual não pode ser diagnosticado até que uma mulher tenha registrado seus sintomas durante, pelo menos, dois ciclos menstruais. O médico toma por base diretrizes específicas para fazer o diagnóstico.

Devemos investigar minuciosamente o maior número possível de sintomas da TPM, sempre avaliando o grau de desconforto causado por cada um deles. A terapêutica deve ser iniciada após uma explicação sobre a doença, mostrando sua grande incidência e o seu car tpmáter cíclico.

Caso a retenção de líquido seja um problema, é possível que o médico receite o diurético espironolactona (que ajuda os rins a eliminar sais e água do corpo). Os contraceptivos orais que encurtam a menstruação ou que aumentam em até três meses o intervalo entre as menstruações, talvez ajudem algumas mulheres. Diminuir o consumo de açúcar, sal e cafeína e praticar atividade física são medidas que talvez ajudem a aliviar os sintomas, assim como tomar certos suplementos, analgésicos, pílulas anticoncepcionais (às vezes) ou antidepressivos. De acordo com a ginecologista Mara Diegoli, quem cede à compulsão e se empanturra com a guloseima durante a TPM corre o risco de ver o ponteiro da balança subir. Para evitar o transtorno, é fundamental ter autocontrole e elaborar estratégias a fim de reduzir a quantidade consumida.

Quem nunca passou por uma situação de estresse, tristeza ou nervoso e logo depois colocou a culpa na TPM? Se você já fez isso, fique tranquila, porque por mais que sejam muitas vezes tratadas como frescura, essas alterações de humor de fato acontecem com as mulheres, em diferentes intensidades, segundo Érica Mantelli, ginecologista (SP). É comum que as pessoas associem as variações de humor de uma mulher a esse período de alterações hormonais, que geralmente é acompanhado por uma série de sintomas que alteram o humor e a disposição. Acredita-se que as endorfinas – substâncias químicas do cérebro que são liberadas durante o exercício – podem ajudar a neutralizar algumas das alterações hormonais que podem desencadear a TPM grave. Embora os pesquisadores não saibam exatamente por que a TPM ataca, acredita-se que esses distúrbios emocionais estejam ligados à ascensão e queda dos hormônios, especificamente o estrogênio, durante todo o ciclo menstrual.

https://comsaberesaude.com.br/category/saude/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *