Principais estágios da mão-de-obra

As fases da mão de obra normal de mão de obra ocorrem de maneira seguida e geralmente incluem dilatação do colo do útero, o período expulso e a saída da placenta. Geralmente, a força de trabalho começa espontaneamente entre 37 e 40 semanas de gestação e, há sinais indicando que a gestante vai entrar em trabalho, como a remoção do rolo mucoso, que é a saída de um líquido gelatinoso, entrosado ou acastado pela vagina e a quebra da bolsa de água, que é quando o líquido amniótico transparente começa a sair.

Além disso, a gestante começa a ter contrações irregulares, que vão se intensificar, até que sejam mantidas regulares e com intervalos de 10 minutos em 10 segundos. Saber.

Portanto, quando a gestante tem esses sintomas ela deve ir para o hospital ou maternidade, já que o parto do bebê está próximo.

Principais fases do trabalho de parto

1o Fase-Dilatation

A primeira fase da entrega é caracterizada pela presença de contrações e o processo de dilatar o colo do útero e o canal de distribuição

esta fase é dividida em latente

onde a dilatação cervical do útero é inferior a 5 cm e é caracterizada pelo aumento gradual da atividade uterina, a presença de contrações uterinas irregulares e o aumento de secreções cervical, e há perda do buffer mucoso, e ativo, no qual a dilatação é maior que 5 cm e a mulher já começa a apresentar contrações regulares e dolorosas.

A duração da primeira fase A mão de obra a força pode variar de uma mulher para outra, para muito dura de 8 14 horas. Durante este período é comum que as mulheres sintam dor devido às contrações, que se tornam mais regulares e com menor intervalo entre uma e outra, já que há uma maior dilatação do colo do útero e do canal vaginal.

O que fazer nesta fase: Nessa fase, a gestante deve ir à maternidade ou hospital contar com a assistência dos profissionais de saúde. Para diminuir a dor, a gestante deve se inspirar lentamente e profundamente durante cada contração, como se ela estivesse cheirando uma flor e expirar como se estivesse apagando uma vela.

Além disso, ela pode andar devagar ou subir escadas, já que ajudará o feto a se posicionar para sair e, caso a mulher esteja deitada ela pode se virar para o lado esquerdo, para facilitar uma melhor oxigenação do feto e diminuir a dor. Conhecimento de outros

No hospital, durante a primeira fase da mão de obra, o toque vaginal é realizado a cada 4 horas para acompanhar a dilatação e incentivar os movimentos para a posição vertical. Além disso, no caso das mulheres que estão com baixo risco de necessitar de anestesia geral, é permitida a ingestão de anestesia geral, fluido e alimentação.

Fase de Fase-Expulsão

O monitoramento da fase ativa da mão de obra é dado pela fase de ejeção, em que o colo do útero já atingiu a máxima dilatação e se inicia-se a fase do período de expulsão, que pode demorar entre 2 e 3 horas.

O início da fase de expulsão recebe o nome do período transiente, que é relativamente curto e bastante dor e o cervix adquire uma dilatação entre 8 e 10 cm no final do período. Quando a dilatação adequada for verificada, a mulher deve começar a tomar força para a diminuição da apresentação fetal. Além disso, a posição para entrega pode ser escolhida pelo gestalt, desde que seja confortável e favorece a segunda fase da mão de obra.

O que fazer nesta fase: Durante esta fase a mulher deve seguir as instruções dadas a ela para favorecer a entrega. Assim, recomenda-se que a mulher faça o movimento push seguindo seu próprio empurrão, além de ser importante para manter a respiração controlada.

Durante essa fase, algumas técnicas também podem ser executadas para reduzir o trauma no perineal, como massagem perineal, compressas quentes ou proteção perineal com as mãos. Não é recomendado realizar pressão manual sobre o colo do útero ou a episiotomia, o que corresponde ao desempenho de um pequeno corte no períneo para facilitar o nascimento.

Mesmo que a episiotomia seja uma prática Recurrente, o desempenho não é recomendado em mulheres que não têm indicação, isto porque os benefícios desta técnica são contraditórios e não há evidência científica insuficiente, mais se observou que realizar esse procedimento rotineiramente não promove a proteção do pélvico chão e corresponde à principal causa de dor, sangramento e complicações durante e após a entrega.

3o Fase-Desalta: Outlet da placenta

A fase da descarga é a fase 3 da mão de obra e ocorre após o nascimento do bebê, sendo caracterizada pela saída da placenta, que pode sair espontaneamente ou ser removida pelo médico. Nesta fase, costuma-se fazer administração de oxitocina, que é um hormônio que favorece o parto e o nascimento do bebê.

O que fazer nesta fase: Nessa fase, após o nascimento do bebê, a equipe de obstetrícia e enfermagem fará uma avaliação geral na mulher, além de realizar a tração controlada do cordão umbilical.

Após o nascimento e na ausência de verificação de sinais de complicações na mãe ou no bebê, o recém-nascido se coloca em contato com a mãe que a primeira amamentação seja feita.

Fonte: www.tuasaude.com/fases-do-trabalho-de-parto

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *