5 condições de saúde que influenciam o ganho de peso ou a perda | BOA FORM

Algumas condições de saúde são silenciosas e, portanto, mais difíceis de diagnosticar. No entanto, um sintoma comum pode ser um alerta ao identificá-los: perda ou ganho de peso sem motivo aparente. A seguir, veja cinco doenças que causam essa alteração e opções de tratamento para elas. E lembre-se: Sempre verifique com um médico para fazer o diagnóstico e prescrever os melhores cuidados para você.

condições de saúde que podem influenciar no aumento ou na perda de peso

-(Pexels/Pexels)

Hipotireoidismo

A tireoide é uma das glândulas principais das glândulas do corpo. Ela produz T3 e T4, que influenciam várias funções do corpo. No entanto, quando há um problema que

impede a produção da quantidade necessária dessas substâncias, ocorre o chamado hipotiroidismo. Essa condição causa diminuição da atividade corporal, e pode influenciar o raciocínio, a frequência cardíaca, o trabalho intestinal e a lentidão do metabolismo em geral. “Com a taxa reduzida de metabolismo, o organismo acaba gastando menos energia, o que favorece o ganho de peso”, explica o endocrinologista Antônio Carlos do Nascimento.

O hipotiroidismo pode ocorrer a partir de uma agressão autoimune à glândula tireoide, que ocorre quando o sistema imunológico entende que algo está errado naquela área e acontece de atacá-lo. Além disso, pode ser uma condição congênita, um framework que deve ser identificado através do exame dos pequenos aplicados em recém-nascidos. O tratamento para esta doença é feito com a substituição hormonal, que deve começar assim que o problema é diagnosticado.

Hipertiroidismo

Se o hipotiroidismo é causado pela presença reduzida de hormônios da tireoide, o hipertiroidismo ocorre justamente por causa da condição contrária, que é o excesso de secreção dessas substâncias. Este problema leva ao aumento das funções metabólicas do corpo, o que resulta na aceleração do ritmo cardíaco, tremor nos membros, insônia, olhos e elevação geral das atividades do corpo. Devido a esta aceleração aberta do corpo, o hipertireoidismo pode ser responsável pelo emagrecimento excessivo.

” Uma das causas mais comuns desta condição é uma doença autoimune que pode se manifestar ao longo da vida. Nesse caso, o sistema imunológico passa por produzir um anticorpo que é exatamente o mesmo que o hormônio estimulante da tireoide, que faz com que a glândã funcione de maneira desenfreada, ” diz Antonio Carlos. O tratamento para o hipertireoidismo inclui o uso de drogas que interferem na produção da tireoide, fazendo com que a secreção de hormônios diminua.

Veja também

Síndrome do ovário policístico

Essa condição é um distúrbio hormonal que gera várias alterações no corpo da mulher, incluindo o aumento do ovário e a aparência de pequenos cistos. Ainda não há uma confirmação exata sobre as causas dessa síndrome, no entanto, ela é constantemente associada a fatores de risco, como a resistência à insulina, que ocorre quando as células não absorvem a forma correta dessa substância.

” Quem tem síndrome do ovário policístico pode apresentar uma elevação do hormônio masculino no corpo, levando à aparência de, acne e irregularidade na menstruação. Além disso, o acúmulo de peso, principalmente na região abdominal, é também uma das características da doença. Para o tratamento, uma das opções é usar drogas que controlem os sintomas, como a contracepção hormonal e a medicina que ajudam na ação da insulina, ” diz o ginecologista Alfonso Massaguer.  

Diabetes

Diabetes ocorre quando há carência na produção de insulina. Existem duas versões da doença, o tipo 1, que também é conhecido como diabetes juvenil e apresenta uma total falta de insulina no corpo, e o tipo 2, que ocorre quando há uma disfunção na produção de insulina e a quantidade secreta não é suficiente. Uma das causas mais comuns do segundo tipo é a obesidade, o que faz com que a insulina produzida não seja capaz de diminuir o índice glicêmico. Já o tipo 1 pode ocorrer devido ao desenvolvimento de uma doença autoimune que destrói as células que produzem a substância no pâncreas.

” O tratamento do diabetes tipo 1 ocorre pela aplicação da insulina. Essa versão da doença faz com que o paciente perca muito peso, já que sem a insulina necessária para absorver a glicose, o corpo desce para quebrar a gordura e os músculos para gerar energia. Outros sintomas que também são comuns a ela são urinar em excesso e ter muita sede. Quando pensamos no tipo 2, o tratamento ocorre no início por medicações orais que estimulam a produção do pâncreas e por pensarmos. Alguns dos sintomas desta versão são o ganho de peso, mesmo para as pessoas que já são obesas, e a elevação do índice glicêmico rapidamente, ” diz Antonio Carlos.

Veja também

doença celíaca

Essa condição ocorre quando há uma intolerância permanente ao glúten causada por uma doença autoimune. ” Quando o paciente celíaca consome a substância, há uma lesão na mucosa do intestino delgado, o órgão responsável pela absorção do alimento. Essa contusão, que é chamada de “atrofia vilositica”, leva à má absorção de nutrientes e, consequentemente, à perda de peso, ” explica a assessora médica do que aconselha sobre a gastroenterologia Marcia Wehba Cavichio, do Fleury Medicina y Salud, de São Paulo.

A principal forma de controlar a doença é evitar o consumo de glúten, o composto proteico presente em pães e massas em geral. O indicado é sempre prestar atenção nos rótulos para ter certeza de que a comida não tem essa substância, já que as lesões mucosas podem ocorrer mesmo quando não há sintomas aparentes. “Como toda dieta restritiva, o paciente precisa do nutricionista acompanhante para entender quais são as alternativas para suprimir alimentos que devem ser eliminados da dieta”, diz Marcia.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *