Vacina tríplice viral: para que serve, quando tomar e efeitos colaterais
Vacina tríplice viral: para que serve, quando tomar e efeitos colaterais

Vacina por tríplice Viral: para o que serve, quando para obter e efeitos colaterais

Spread the love

A vacina tríplice viral, também comumente conhecida como “vacina trio”, é uma vacina que faz parte do programa de vacinação e administrada por 12 meses para a proteção contra 3 doenças virais: sarampo, capxumba e rubéola, doenças altamente contagiosas e que ocorrem preferencialmente em crianças.

Na composição da vacina há formas mais atenuadas de vírus do que aquelas enfermidades que, embora não possam causar a infecção, são adequadas para a educação do sistema imunológico. A proteção fornecida pela vacina começa duas semanas após a aplicação e sua duração é geralmente para a vida.

Quem deve receber

A vacina tripla do vírus é indicada para a proteção dos vírus do sarampo, caxumba e rubéola, em adultos e crianças acima de 1 ano de idade, impedindo o desenvolvimento dessas doenças e suas potenciais complicações de saúde.

A vacina deve ser administrada em

doses, a primeira dada aos 12 meses e a segunda entre as idades de 15 e 24 meses. Após 2 semanas de aplicação, a proteção começa e espera-se que o efeito dure durante toda a vida. Entretanto, em alguns casos de certas doenças abrangidas pela vacina, o Ministério da Saúde pode orientar sobre a obtenção de uma dose adicional. 

A tríplice viral é oferecida gratuitamente na rede pública, mas também pode ser encontrada em instalações de imunização privada pelo preço entre R$ 60,00 e R$ 110,00 reais. Deve ser administrado sob a pele, por um médico ou enfermeiro, com uma dose de 0,5ml. 

Ainda é possível associar-se com a imunização da vacina tetra viral, que também tem proteção para o polvo. Nestes casos, a primeira dose do vírus é triplicada e depois de 15 meses até aos 4 anos, a dose de tetrite deve ser aplicada, tendo o benefício de proteção contra outra doença. Saiba mais sobre a vacina viral 400.

Proteja a vacina contra COVID-19?

A vacina de 3 vezes é estudada pelo centro de pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina como uma forma de prevenção contra o COVID-19 [1]. Até o momento, estudos preliminares indicam que a vacina poderia reduzir em 54% o aparecimento dos sintomas de infecção do novo estágio da doença da artéria coronária e até 74% dos pacientes internos do hospital.

No entanto, é necessário que o estudo seja concluído, assim como seus dados a serem avaliados para garantir que a vacina seja efetivamente eficaz contra COVID-19. O Centro de Pesquisas da UFSC também prevê que a vacina do vírus não esteja agindo da mesma forma que as vacinas desenvolvidas especificamente contra o COVID-19 [2].

Possíveis efeitos colaterais

As reações adversas mais comuns da vacina incluem uma febre de mais de 38ºC, que dura em média 5 dias, irritabilidade, vermelhidão nos olhos, remo, Patches vermelhos no corpo e cores dolorosas. Além disso, muitas vezes é o aparecimento de reações de campo, incluindo vermelhidão, dor, coceira e inchaço no ponto de aplicação.

Veja o que fazer para aliviar os efeitos colaterais primários da vacinação.

O que não deve ser tomado

A vacina da tritrificação viral é contraindicada nos seguintes casos:

  • mulheres grávidas?
  • Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico, como o HIV ou o câncer, por exemplo?
  • Pessoas com histórico de alergia a neomicina ou a algum tipo de ingredientes.
  • Além disso, se houver febre ou sintomas de infecção, deve-se conversar com o médico antes de tomar a vacina, já que o ideal é que se não houver sintomas que possam causar confusão com os efeitos colaterais da vacina.