Como fica a relação sexual durante a gravidez
Como fica a relação sexual durante a gravidez

Que relação sexual é como durante a gravidez

Spread the love

Atividade sexual durante a gravidez é crucial tanto para a saúde física quanto mental tanto da mulher quanto do casal, e sempre pode ser realizada cada vez que o casal sinta necessidade.

No entanto, também é importante lembrar que algumas mulheres grávidas podem mostrar uma diminuição do apetite sexual, não só por causa de alterações hormonais, mas também em mudanças no próprio corpo, acabando por deixar a mulher mais precária. Assim, é muito importante que o casal possa falar abertamente sobre essas questões, para que, juntos, consigam superar as dificuldades identificadas.

Embora a relação sexual seja incentivada em quase todas as gravidezes, há alguns casos em que o obstetra pode solicitar uma restrição, como acontece quando a mulher tem um sangramento anormal durante a gravidez, foi precedida por placenta ou acarreta alto risco de parto prematuro.

Dúvidas Comuns sobre relação sexual durante a gravidez

Para ajudar os casais a criar confiança na relação sexual durante a gravidez, reunimos algumas das dúvidas mais frequentes sobre o assunto:

1. A relação sexual pode afetar o bebê?

A relação sexual sexual não prejudica o bebê, já que ela é protegida por músculos uterinos e saco amniótico. Além disso, a presença de uma solução tampão no colo do útero também impede a entrada de qualquer microrganismo ou objeto dentro do útero.

Às vezes, após a relação, o bebê poderá se apresentar mais inquieto no útero, mas isso só acontece por causa do aumento da frequência cardíaca da mãe e uma ligeira contração dos músculos do útero que não afetam o bebê ou seu desenvolvimento.

2. Quais são as melhores posições sexuais

No início da gravidez quando o abdômen ainda é pequeno, todas as posições sexuais podem ser adotadas Desde que a mulher esteja confortável. No entanto, quando o abdômen cresce há lugares que podem ser mais confortáveis:

  • : a posição à beira da posição cônica pode ser um dos lugares mais confortáveis para a mulher, assim como o abdômen que não perturbe, também é apoiado no colchão. Nesta posição, colocar um travesseiro sob o quadril também pode ser bastante confortável já que pode ajudá-lo a encontrar o lugar certo.
  • Na parte superior: adotar lugares onde ele se senta sobre o seu parceiro, como onde ele fica colocado ou sentado, são ótimas escolhas, que permitem maior controle de profundidade e intensidade de penetração, enquanto faz com que o abdômen não fique em pé na rua seja interrompido. 
  • Voltar: adotar a posição “filhote” ou outros lugares onde o homem faz penetração por trás também são ótimos lugares para períodos em que o abdômen é grande, pois permitem uma grande liberdade de movimento. Outra opção consiste em deitar com o bumbum perto da borda da cama, enquanto o seu parceiro está de pé ou o joelho no chão.

Nem sempre é fácil encontrar um lugar onde ambos se mantenham confortáveis, especialmente por causa do medo que existe no machucando o abdômen e o bebê. Com paciência e esforço, o casal pode encontrar o melhor equilíbrio, sem nunca deixar que ele se mantenha com relação sexual durante a gravidez.

3. É necessário usar camisinha?

O uso de preservativos não é necessário se o parceiro não tiver uma doença sexualmente transmissora. Caso contrário, o ideal é usar camisinha masculina ou feminina, não só para evitar a infecção do gestante, mas também para que o bebê não desenvolvesse uma infecção.

Importantes mudanças na libido durante a gravidez

A atividade sexual pode ser vista de várias formas ao longo da gravidez, assim como o corpo, e o desejo, mudança durante este período. 

Quarteira 1º

No primeiro trimestre da gravidez, é normal ter medos e inseguranças que a relação sexual pode prejudicar a gravidez ou até mesmo causar aborto espontâneo, e a mulher e o homem passam por um período onde há medo e medo, e há uma diminuição do desejo do casal. Além disso, trata-se também de um quarto das mudanças no corpo e de muitas náuseas e vômitos, o que também pode ajudar a reduzir o desejo. 

2º trimestre

O desejo sexual geral volta ao normal durante o segundo trimestre da gravidez, uma vez que já existe uma maior aceitação das mudanças observadas no corpo. Além disso, durante este período os hormônios podem levar a uma ação de apetite sexual e como o abdômen ainda não é muito grande, há liberdade para continuar a adotar posições diferentes. 

3º trimestre

No terceiro e último trimestre de gravidez, o desejo permanece mas o casal pode enfrentar algumas dificuldades. Durante este período, há lugares que são desconfortáveis devido ao tamanho do abdômen, já que acaba mudando o centro de gravidade da mulher, o que pode deixá-lo com menos equilíbrio e mais desajeitado. Neste período é muito importante vivenciar posições diferentes, para encontrar o que é mais confortável para o casal. Além disso, durante este período, devido ao tamanho do abdômen, o homem pode ter alguns medos e receios de prejudicar o bebê o que pode acabar diminuindo o desejo do casal. 

O sexo não prejudica o bebê, já que não perturbar nem faz mal, nem provoca o aborto, além disso, o sexo durante a gravidez é sem exclusão beneficia tanto a mãe quanto o bebê, que sente a alegria e a satisfação sentidas pela mãe nesses momentos. Mas é contraindicado apenas pelo médico em situações de risco, como o risco de aborto espontâneo ou desconexão da placenta, por exemplo.

Veja os alimentos que aumentam a libido e como preparar uma refeição afrodisíaca no vídeo a seguir:

Imagem representativa do vídeo Imagem representativa do vídeo

Como fazer sexo após o parto

Durante as primeiras 3 semanas após dar à luz ou até mesmo a mulher é confortável, não é recomendável ter relações sexuais já que a área em questão tem que se recuperar e curar, principalmente após um parto normal. 

Passou o tempo de recuperação, com a permissão do médico para ser indicado para repetição de contato pessoal, no entanto este pode ser um tempo estressante e com grandes inseguranças, já que a mulher terá que se adaptar ao seu novo corpo. Além disso, o recém-nascido requer muito tempo e atenção, o que deixa os pais exaustos, e pode contribuir para reduzir o desejo sexual nas primeiras vezes. 

Além disso, depois de dar à luz os músculos vaginais da mulher podem ser encontrados mais fracos e a vagina pode ficar “mais larga”, por isso é muito importante potenciar os músculos dessa área através da prática de exercícios específicos. Estes são chamados de exercícios de kegel, e além de aprimorarem a área genital, eles podem ajudar a mulher a tirar mais satisfação sexual.