O Que São Aflatoxinas? Os Riscos e os Alimentos Que Contém

Spread the love

Você sabe o que são aflatoxinas? 

O nome pode parecer estranho e até difícil de pronunciar. Mas entender o que isso significa ajuda a se proteger de doenças.

Sim, é verdade.

As aflatoxinas são substâncias nocivas liberadas por fungos encontrados em diversos alimentos que consumimos no nosso dia a dia. 

Dependendo do nível de contaminação, essas toxinas podem colocar nossa saúde em risco.

E é por isso que existem até critérios internacionais de tolerância da sua presença nos alimentos, contando com a fiscalização do governo em diversos setores da indústria. 

Mas a verdade é que você também pode contribuir para garantir a segurança alimentar dentro da sua casa. 

Com alguns cuidados básicos, é possível limitar a proliferação desses micro-organismos e manter a saúde protegida.

Quer saber como?

Então, continue a leitura, que vamos explicar tudo sobre esse assunto.

Experimente as receitas com pasta de amendoim com chocolate branco

O que são aflatoxinas?

As aflatoxinas são toxinas (também chamadas de micotoxinas) desenvolvidas a partir de fungos do gênero Aspergillus.

Normalmente, esses microorganismos se proliferam em locais de produção e armazenamento de produtos agrícolas. 

Eles adoram ambientes quentes e úmidos, o que configura o cenário ideal para a incidência de aflatoxinas aqui no Brasil.

Quem consome alimentos com alto nível dessas toxinas fica suscetível à aflatoxicose, doença diagnosticada tanto em homens como nos animais.

Quais os alimentos que contêm aflatoxinas?

Ao entender o que são aflatoxinas, você já deve estar se perguntando quais os alimentos preferidos dos fungos Aspergillus.

Normalmente, os seguintes produtos podem concentrar um maior índice de aflatoxinas:

  • Leite
  • Amendoim e demais oleaginosas
  • Grãos em geral, como milho, arroz e feijão                                       
  • Trigo e seus derivados.

Quando submetidos a condições precárias de armazenamento ou a temperaturas e umidade elevadas, esses alimentos se tornam locais ideais para proliferação dos fungos responsáveis pelas aflatoxinas. 

No Brasil, existem leis que visam garantir a segurança alimentar dos consumidores, estabelecendo limites máximos tolerados.

Vale dar atenção especial ao amendoim, um dos produtos mais prejudicados pela infestação das toxinas aqui em terras tupiniquins.

De acordo com artigo publicado pela Revista de Saúde Pública de São Paulo, a alta incidência de aflatoxinas em amendoins no Brasil se deve, principalmente, às tradicionais práticas de colheita, secagem e armazenamento utilizadas pelos produtores. 

Condições de alta umidade e temperatura aumentam a probabilidade de desenvolvimento do Aspergillus e de produção de aflatoxinas, situação agravada no período chuvoso”, diz o estudo.

Por isso, o ideal é que sejam adotadas as melhores técnicas em todos os processos, o que envolve:

  • Produção
  • Armazenamento
  • Manipulação
  • Processamento
  • Embalagem.

E para não restar dúvidas da importância de confiar muito nas marcas que consome, saiba que existe até mesmo aflatoxina no amendoim torrado.

Isso porque é preciso uma temperatura extremamente alta para eliminar a toxina do alimento.

O que a aflatoxina pode causar?

Agora, vamos falar sobre os riscos da infestação dos fungos Aspergillus em nossa saúde.

Afinal, quando o assunto são as aflatoxinas, quais danos elas podem causar ao organismo humano?

Embora não exista um grande número de estudos que confirmem seus efeitos, já é sabido que a contaminação com as toxinas está associada a várias complicações no fígado, como hepatite B e cirrose.

Em alguns casos, até mesmo o câncer no fígado (hepatocarcinoma) guarda relação com a infestação da aflatoxina, indicando seu poder cancerígeno em nossas células.

A ingestão de produtos contaminados também pode evoluir para:

  • Febre
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Dor abdominal
  • Alergias
  • Dores de cabeça
  • Baixa imunidade

E não somos apenas nós, seres humanos, que temos a perder com os efeitos das aflatoxinas. 

Os nossos amados pets de estimação são ainda mais sensíveis expostos ao fungo Aspergillus.

Portanto, é sempre bom também ficar atento aos locais onde você armazena a ração dos seus bichinhos, combinado?

Modo de transmissão

Como já explicamos aqui no artigo, a aflatoxicose acontece quando seres humanos ou animais ingerem alimentos e rações contaminadas.

Em alguns casos, porém, também foram observadas transmissões da doença por meio da inalação e contato com a pele.

Como eliminar aflatoxina do corpo

Acabamos de ver que, assim como intoxicações alimentares em geral, a contaminação pelas aflatoxinas pode causar vômitos, diarreias e dores no corpo.

À medida que esses sintomas persistem no organismo, é fundamental procurar um médico para averiguar o que está acontecendo.

Mas, se a ideia é amenizar o mal estar causado por essas toxinas, existem algumas opções que podem ajudar no processo de desintoxicação do nosso fígado.

São eles:

  • Sucos detox
  • Brócolis
  • Chá verde e de boldo
  • Aipo
  • Cenoura
  • Espinafre.

Mas veja tudo isso como uma prática complementar e converse com seu médico, ok?

aflatoxinas da pasta de amendoim

Legislação

Tendo em vista o alto risco de contaminação da aflatoxinas e suas consequências em humanos e animais, países do mundo inteiro editaram normas com os índices máximos tolerados.

Aqui no Brasil, quem se encarrega dessa legislação é o Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento (MAPA). 

Em 2016, o órgão editou uma série de critérios e procedimentos para o manuseio do amendoim e seus subprodutos.

Basicamente, o documento considera impróprio para consumo os amendoins que apresentarem as seguintes características:

  • Mais de 5% (cinco por cento) de grãos mofados e ardidos
  • Mau estado de conservação
  • Odor estranho, impróprio ao produto que inviabilize a sua utilização para o uso proposto
  • Presença de sementes tóxicas ou sementes tratadas
  • Teor de aflatoxinas acima do limite estabelecido na legislação específica vigente.

A legislação vigente aponta ainda que os limites de aflatoxinas permitidos são de 20 µg/kg (microgramas por quilo) para:

  • Amendoim com casca, descascado, cru ou tostado
  • Pasta de amendoim
  • Manteiga de amendoim.

Para saber sobre os limites referentes aos outros alimentos, como leite e grãos, clique aqui para conferir a tabela completa.

Como evitar aflatoxinas?

Agora que você já sabe o que são aflatoxinas, como e onde elas se proliferam, chegou a hora de descobrir como você pode fazer a sua parte para evitar a contaminação.

Então, não deixe de seguir essas recomendações gerais!

1. Selecione os alimentos com atenção

Em primeiro lugar: onde você costuma comprar os produtos que leva para casa? A loja é de confiança? O que sabe sobre a marca do produto?

Também é importante ficar atento ao local de armazenamento desses alimentos. Verifique se o ambiente é fresco, limpo e bem cuidado.

2. Atenção ao prazo de validade

As datas de expiração estampadas nos produtos podem até ser difíceis de ler, mas estão ali por uma razão e devem ser observadas! 

Consumir alimentos fora da validade pode não só dar chance para as aflatoxinas, como também para complicações mais sérias de saúde.

Caso os alimentos sejam a granel, o ideal mesmo é consumi-los o mais rápido possível.

3. Compre de pouco em pouco

Quando gostamos muito de determinado alimento, ou se o preço está tentador, a tendência é levar um monte para casa para não correr o risco de ficar sem.

Mas, pense bem se você vai dar conta de consumir tudo dentro da validade. 

Além disso, guardar grandes quantidades pode aumentar o risco de contaminação de um alimento para outro.

4. Cuide do armazenamento

Evite armazenar os alimentos em locais quentes e úmidos – isso é um chamariz para fungos de tudo quanto é tipo. 

Por isso, priorize locais frescos e secos.

5. Jogue fora alimentos suspeitos

É aquela história da maçã podre: basta uma para contaminar o resto da cesta. 

Então, se você vir ali algo parecido com bolor, nada de tentar salvar o resto. Manda tudo embora!

Nem sempre há como aproveitar alimentos contaminados. 

Lembre-se de que mesmo que você vá cozinhar o produto depois, as aflatoxinas conseguem resistir a temperaturas altíssimas.

aflatoxinas do amendoim

Conclusão

As aflatoxinas podem aparecer em vários alimentos que consumimos no nosso dia a dia.

Inclusive, podem estar nos produtos que você compra.

Isso só reforça a importância de optar por marcas que garantam alimentos saudáveis, nutritivos, 100% naturais e sem conservantes.

É o que a Naked Nuts faz com suas pastas de amendoim e castanha.

Aqui, você não precisa se preocupar com aflatoxinas.

Com isso, você e sua família podem continuar consumindo seus produtos favoritos sem abrir da segurança alimentar.

Então, conte para nós: você já tinha ouvido falar sobre as aflatoxinas? Que cuidados costuma ter quando vai às compras?

Deixe seu relato nos comentários!

Conheça nossas pastas de castanha de caju

Receba mais dicas de alimentação saudável direto no seu email!

Email cadastrado!

Nome

E-mail

Eu quero!

sobre o autor

sobre o autor

Somos uma marca de pastas de amendoim, castanha de caju e pistache extremamente saborosas e nutritivas.

Acreditamos que é importante alimentar-se de forma saudável sem deixar de aproveitar os momentos e viver experiências.

Essa é a forma que nós enxergamos a vida real e somos seus amantes incondicionais.

Sabemos que saúde e momentos gostosos não só podem, como devem andar juntos.

Leia mais:

Dieta Cetogênica: O que é, Como Funciona e Benefícios e MalefíciosAçúcar para Diabéticos: Como Escolher a Melhor Substituição?Amendoim Preto: Saiba os Benefícios e Como Consumir