O que poderia ser o suor noturno (as plantas noturnas) e o que fazer

O que pode ser o suor noturno (sudorese noturna) e o que fazer
Spread the love

A corrida noturna, também chamada de Doris, pode ter várias razões, e embora nem sempre cause preocupação, em alguns casos pode indicar uma doença. Por isso, é importante notar casos e se eles são acompanhados por outros sintomas, como febre, calafrios ou perda de peso, por exemplo, e podem indicar um ligeiro aumento da temperatura do ambiente ou do corpo durante a noite, bem como alterações hormonais ou metabólicas, ou mesmo câncer.

Você também não deve esquecer a hipertrichosis, que é uma produção excessiva de suor no corpo ou nas mãos, e pescoço ou pernas, mas isso ocorre a qualquer hora do dia. Você sabe o que fazer se você tem eshidisis.

Assim, onde existem várias razões para esse tipo de sintomas, sempre que surgem de forma contínua ou intensa, é importante conversar com um médico de família ou um profissional, para que possíveis causas sejam verificadas. Algumas das principais causas da escravidão noturna incluem:

1. Temperatura do corpo elevado

Quando a temperatura do corpo sobe, seja através da atividade física, da alta temperatura ambiental, ou do consumo de alimentos armadilhado, como pimenta, gengibre, álcool e cafeína, por exemplo, devido à febre ou um organismo para tentar resfriar o corpo e evitar que ele seja excessivo.

No entanto, se nenhuma causa óbvia for encontrada, é importante lembrar que há doenças que estão acelerando. Por exemplo, o metabolismo, como a hiperatividade da tireoide, deve ocorrer com um médico sobre probabilidades.

2. Desespero ou TPM

As oscilações de estrogênio e progesterona que ocorrem na menopausa ou períodos pré-menopausos, por exemplo, podem aumentar a temperatura do corpo base e podem causar feitiços de pele e plantas, que podem ser noturnas.

Tipo de modificações é benigno e tende a passar ao longo do tempo, no entanto, deve ser repetido ou intenso demais, devemos falar como um sistema ginecologista ou endócrino para se parecer melhor em sintomas como a terapia hormonal, já que cerca de 20% dos que mais de 50 podem desenvolver a menopausa, que é reduzida a testosterona, maldições com suor noturno, além de calor, irritabilidade, insônia e falta de libido, e insônia. Aqueles que passam por tratamento para reduzir a testosterona, como resultado do tumor da próstata, também podem mostrar esses sintomas.

3. Infecção

Algumas infecções, que podem ser graves ou crônicas, podem levar a condições preferenciais:

  • TB;
  • HIV;
  • Inflammation;
  • geral,
  • infecções podem ser sintomas de febre, perda de peso, fraqueza, inchaço de gangues por corpo ou calafrios, que geralmente são causados por infecções, triunfos e permissões.

    Na presença desses sintomas, é muito importante que haja uma avaliação médica o mais rápido possível, e o tratamento seja direcionado de acordo com o tipo de microrganismos, e pode ser necessário usar antibióticos, antifúngicos ou antirretrovirais.

    4. Uso de drogas

    Algumas drogas podem ter um efeito colaterais sobre a presença de suores noturnos, e alguns exemplos anti-inseto, como Pateracamole e alguns antipsicóticos e alguns antipsicóticos.

    O uso dessas drogas em bouts de açúcar à noite não deve ser interrompido, mas deve ser conversado com o médico para que outros casos mais comuns sejam avaliados antes de pensar em retirada ou troca de medicamentos.

    5. Diabetes

    Não é incomum que pessoas com diabetes em terapia de insulina ofertem bouts de açúcar no sangue durante a noite ou no início da manhã, e não o sinta porque dormem, enquanto notam corrida apenas.

    Para evitar esses tipos de apreensão, é importante conversar com o médico para avaliar a possibilidade de modificar doses ou tipos de medicação, tais como:

    • Confira os níveis de glicose no sangue antes de dormir, se eles devem ser corrigidos com um lanche saudável;
    • Preferir para tratamento. Atividades durante o dia, não pular o jantar;
    • Prevenir o consumo de bebidas alcoólicas à noite.

    A hipertensão causa mecanismos do corpo com a liberação de hormônios para compensar a deficiência de glicose, resultando em suor, paladar, tonturas, palpitações e náuseas.

    6. Apneia do sono

    As pessoas portadoras sofrem com o oxigênio baixo durante a noite, o que leva à ativação do sistema nervoso e pode levar a suores noturnos e doenças cardíacas e cardíacas.

    Essa doença é um distúrbio respiratório ou uma respiração rasa durante o sono, levando a rondas e algum repouso que causa a sonolência durante o dia, dificuldade de concentração, dor de cabeça e irritabilidade, por exemplo. Confira aqui o Como reconhecer e trabalhar com pnda.

    O que pode ser o suor noturno (sudorese noturna) e o que fazer

    7. Neuropatologia

    Algumas pessoas podem formar um distúrbio do sistema nervoso autônomo, que é responsável por controlar funções que não dependem de nossa vontade, como respiração, pressão arterial, digestão ou temperatura corporal, por exemplo.

    Este tipo de modificação leva a um chamado decaimento, desmaios, inversor súbito na pressão, paladar, boca seca e falta de tolerância para atividades como pé, elevação ou caminhada por um longo tempo.

    Alterações neste sistema nervoso autônomo podem ser criadas para várias pessoas. A principal causa de doenças do sistema nervoso é a doença de Parkinson, esclerose múltipla, mielite transversa, Alzheimer, tumor ou trauma cerebral, por exemplo, além de outras doenças genéticas, cardíacas ou endócrinas.

    8. Câncer

    Um tipo de câncer, como o linfoma e a leucemia, pode ser apresentado como sintomas recorrentes da escravidão noturna, além da perda de peso, gangues reforçadas, o risco de sangramento sanguíneos e a imunidade reduzida. Também pode surgir em tumores endócrinos, como um tumor fértil ou um tumor canceroso, o que motiva a liberação de hormônios que ativam a resposta neural, levando a crises no paladar, suor, lixo do rosto, e,

    exemplo, pressão arterial, por exemplo,

    tratamentos que podem incluir cirurgia e quimioterapia, por exemplo, de acordo com o tipo de tumor e gravidade do quadro.

    Author: admin