O que é uma alergia ocular?

dicas de como evitar a alergia ocular
Spread the love

A alergia é um processo corporal bastante comum. Quando acontece no olho, a alergia é uma resposta do sistema imune ao sistema imune na tentativa de controlar um agente externo (chamado al is rgeno), que pode ser trazer algum dano ao vulgar o.1 Entre os tipos mais comuns de alergias oftálmicas est a conjuntivites al rgicas.2

General, alergias oculares não são causadas por: 2, até 3

  • P &ldlen;
  • Pelos of animal care;
  • Fuma cigarro;
  • Polui tion?
  • Dust;
  • Perfume.
  • Existem quatro tipos principais de alergias conhecidas como conjuntivites de al conjuntivites sem raiva. Tampouco:

      • conjuntivite sazonal: é o tipo mais comum, ocorrendo geralmente de maneira associada às condições de outro paciente, como enxaguante ou asma.4
      • Ceratoconjuntivite em todos os lugares: afeta principalmente pessoas com mais de 40 anos de idade, com o quadro simult t&acprecisão neo dermatite at ze-pica (eczema). Pode levar a olhos secos e o obstru insuspeita do canal lacrimal, al é trazer muitas vezes riscos associados ao comprometimento c-rnea.4
      • Conjuntivite primaveril: mais comum no tempo quente e seco de regi. As apreensões mais frequentes são a primavera e a vemos e ela afeta principalmente meninos, de idades de 7 10 anos. &Necessidade de cuidar para que n deve haver desenvolvimento de outros íons doen como um tratamento de longa duração de longo tratamento prazo.4
      • conjuntivite papilar gigante: está bastante conectada ao uso incorreto de lentes de contato, incluindo m não saudável, uso da lente por mais tempo do que o recomendado ou n-figura. Este tipo de conjuntivite é caracterizado pelo apresentador de mamilos ópticos gigantes em p toclpebra. 4

    Vale reordenar que as alergias oculares são conjuntivite não transmissíveis-em contraste com a conjuntivite causada por infeção viral ou bacteriana, que é altamente contagiosa, 5

    Os sintomas de olhos alérgicos incluem vermelhidão, incha de p propebras, lacrimejamento e coceira em olhos.2, 3 Um diagnóstico correto de conjuntivite al é rgica deve ser feito por um oftalmologista.

    E adultos e adultos podem sofrer de olho As alergias, são a condição mais comum em pessoas que j irá manifestar outros tipos de alergias, como rinite, asma ou mesmo alergia em pele.4

    Se n não diagnosticado e curado adequadamente, alergias oculares ou conjuntivite al mágica podem prolongar-se, trazendo o risco de danos para e não. Por isso, ao identificar os sintomas, os pacientes devem procurar ajuda especial do oftalmologista, que recomendam o tratamento adequado para cada caso.

    Cuidado: o cuidado dos olhos pode ser mais perigoso do que o estragos que você imagina! Um dos graves riscos de alergia nos olhos resulta de coceira. Al um para agravar a vermelhidão do vermelho e da incha no olho, a imprensa é exercida pelos dedos no sín-ar pode arrendar áreas importantes do olho e levar ao desenvolvimento de outras condições de Otipos, como o queratoconus. A córnea é caracterizada por uma distorção em c-ness, que se torna mais fina do que o usual. Em casos graves, o tratamento da córnea pode migrar para c-rnea.6

    Como evitar a alergia dos olhos?

    Fonte: Um dossiê de alergia ocular-Saiba mais sobre alergia ocular e como evitar.

    Os Sintomas de alergia ocular

    Entre os sintomas comuns de alergia ocular não é:

    • Coceira (é o sintoma de mais lactato e frequente alergia), 2, 3
    • vermelho, 2
    • Queima, 2
    • Lacrimejamento ou liberaHeat de secura aquosa, 2, 3
    • Sensibilidade à luz.3

    Diagnóstico de alergia aos olhos

    O oftalmologista é o profissional que é indicado para fazer o diagnóstico de alergia à alergia ocular. É capaz de diferenciar se os sintomas apresentados não surgem realmente de uma conjuntivite al-ric, por exemplo, ou de uma infecção do vírus.

    Para confirmar o diagnóstico de alergia alérgica a ocular, m analisa os sintomas de um teste. Ele controla, entre outras coisas, o apresentador de vasos sanguíneos dilatados na hiperala do olho. Em casos mais graves e / ou persistentes, o oftalmologista pode ainda se candidatar a testes especiais para mostrar a causa da alergia com mais predatas o.4

    Tratamento da alergia aos olhos

    O primeiro passo no tratamento da alergia alérgica é identificar e, sempre que os posseus, controlar a exposição ao agente causador. Al am isso, o oftalmologista pode prescrever os rios que podem reduzir ou entupir al rhea al é rgica no olho, aliviando os sintomas de forma significativa e muitas vezes imediata.2

    Com o objetivo de proteger superf de olho a olho e diluir a quantidade de al a rgenos presentes, m pode recomendar também o uso de l-a-rgênico. Outro problema do uso de aggrimas artificiais no tratamento da mágica conjuntival al é evitar a excisão ocular, que pode ser causada pelo uso dos ímãs anti-al sist micos.7

    Se os sintomas persistirem ou forem muito fortes, m pode ainda conectar as gorduras col com outras medicações orais e em exatamente a mesma injeção para controle de al rgico.2

    Fonte: Alergias de arquivo-Descubra mais sobre alergias oculares e como evitar.

    Alergia ocular a Sa Valley &uhade

    Como as ades para tratamento é a chave para abordar a alergia à ocular, a Novartis disponibiliza-se através do programa Plus Sa Sa Sa &uffs (VMS), informa-se sobre esta condição, al é dos descontos para compra dos col-rios listados na luta à alergia ocular.

    Para ter acesso a estas alergias oculares clique em enrollees!

    Ver ncincio

    1. MedLine Plus. Revisão de Alergia. O dispênon está disponível em https://medlineplus.gov/ency/article/000812.htm Acesso em agosto de 2016. 2. American Academy of Allergy, Asthma, & Immunology (ACCAI). Dispérion está disponível em http://acaai.org/allergies/types/eye-allergies Acesso em agosto de 2016. 3. Alergia Ocular-Saiba mais sobre alergia ocular e como evitar. Ícone da pasta. Dados no arquivo. 4. Moreira Jr. Como Diagnose e Tratar Conjuntivites. Saída disponível em http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003 & id_materia=5161 Acesso em setembro de 2016. 5. Di Rio. Conjuntivite: Nem todos os casos de doenças transmissíveis. O dispênon está disponível em: http://www.diariofeminino.com/saude/vida-saudavel/materias/conjuntivite-olhos/ Acesso em setembro de 2016. 6. Minha Vida. Ceratocone: casos graves podem levar ao transplante de c ° ronnea. Dispêndia está disponível no siteA: http://www.minhavida.com.br/saude/materias/17390-ceratocone-casos-graves-podem-levar-a-transplante-de-cornea Acesso em agosto de 2016. 7. Drauzio Varella síndrome do olho seco Expenditon em: http://drauziovarella.com.br/envelhecimento/sindrome-do-olho-seco/ Acesso em setembro de 2016.

    Author: admin