Comer bife de fígado: é realmente saudável?

Comer bife de fígado: é realmente saudável?
Spread the love

O fígado, seja de vaca, porco ou frango, é um alimento muito nutritivo que não só é uma fonte de proteínas, como também é rico em vitaminas e minerais importantes, podendo trazer benefícios para o tratamento de alguns problemas de saúde, como a anemia.

No entanto, o bife de fígado deve ser consumido moderadamente, pois quando consumido em excesso tem potencial para causar algumas complicações, especialmente em pessoas que já têm alguma condição de saúde. Isto acontece, porque o fígado também é rico em colesterol e pode conter metais pesados que acabam se acumulando no organismo a longo prazo.

Assim, sempre que se tenha algum problema de saúde, o ideal é consultar um nutricionista para avaliar a porção e a frequência em que é recomendado ingerir fígado, para evitar as possíveis complicações.

Principais benefícios do fígado

O bife de fígado é um alimento muito nutritivo que contém a quantidade diária de vitaminas e minerais necessária para o funcionamento do organismo, como ácido fólico, ferro, vitaminas do complexo B e vitamina A.

Também é uma fonte de proteínas de alta qualidade com aminoácidos essenciais que o corpo não produz, mas que são necessários para garantir o bom funcionamento dos músculos e dos órgãos.

Além disso, consumir fígado também diminui o risco de anemia, pois é muito rico em ferro, vitamina B12 e ácido fólico, que são nutrientes fundamentais para a produção de glóbulos vermelhos.

Porque se deve moderar o consumo

Embora tenha alguns benefícios, o consumo de fígado deve ser moderado, especialmente porque:

  • É rico em colesterol: o consumo excessivo de colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas, por isso o consumo de fígado pode não ser uma boa opção para quem tem colesterol alto ou algum tipo de problema cardíaco.
  • Contém metais pesados: como cádmio, cobre, chumbo ou mercúrio. Estes metais podem acabar se acumulando no corpo durante toda a vida, resultando em alterações da função renal ou do metabolismo das vitaminas e minerais, podendo provocar vários problemas de saúde.
  • É rico em purinas: são uma substância que aumenta os níveis de ácido úrico no organismo, devendo ser evitada por pessoas que sofrem de gota, já que podem piorar os sintomas. Veja mais sobre a dieta para baixar o ácido úrico.

Além disso, o fígado também deve ser consumido com cuidado na gravidez, pois, embora tenha ferro e ácido fólico, que são nutrientes importantes na gestação, também contém elevadas quantidades de vitamina A que, em excesso, pode ser prejudicial para o desenvolvimento do feto, especialmente durante o primeiro trimestre.

Tabela de informação nutricional

Nesta tabela indicamos a composição nutricional para 100 g de fígado de vaca, porco e frango:

NutrientesFígado de vacaFígado de porcoFígado de frangoCalorias153 kcals162 kcals92 kcalsGorduras4,7 g6,3 g2,3 gCarboidratos1,9 g0 g0 gProteínas25,7 g26,3 g17,7 gColesterol387 mg267 mg380 mgVitaminaA14200 mcg10700 mcg9700 mcgVitamina D0,5 mcg1,4 mcg0,2 mcgVitamina E0,56 mg0,4 mg0,6 mgVitamina B135 mg0,46 mg0,48 mgVitamina B22,4 mg4,2 mg2,16 mgVitamina B315 mg17 mg10,6 mgVitamina B60,66 mg0,61 mg0,82 mgVitamina B1287 mcg23 mcg35 mcgVitamina C38 mg28 mg28 mgFolatos210 mcg330 mcg995 mcgPotássio490 mg350 mg260 mgCálcio19 mg19 mg8 mgFósforo410 mg340 mg280 mgMagnésio31 mg38 mg19 mgFerro9,8 mg9,8 mg9,2 mgZinco6,8 mg3,7 mg3,7 mg

Como deve ser consumido

Nos adultos, a porção de fígado deve ser entre 100 a 250 g por semana, que pode ser dividida em 1 a 2 porções por semana.

No caso das crianças, a forma mais segura de consumir fígado é 1 vez por semana, no máximo. Isso acontece não apenas por conter metais pesados, mas porque o fígado também possui altas concentrações de vários micronutrientes que podem ultrapassar os valores diários recomendados.

Sempre que possível, o bife de fígado deve ser de origem biológica, já que normalmente os animais são alimentados de forma mais natural, criados ao ar livre e com menos uso de medicamentos e outras substâncias químicas.

Confira ainda alguns mitos e verdades sobre carne vermelha e carne branca.

Author: admin