• seg. maio 16th, 2022

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Chlorella: o que é, para que serve e como usar

Byadmin

ago 27, 2021
Chlorella: o que é, para que serve e como usar
Spread the love

A chlorella, ou clorela, é uma microalga rica em fibras, proteínas, ômega 3, vitaminas do complexo B, vitamina A e C, e minerais como fósforo e potássio. Além disso, a chlorella é rica em clorofila, um pigmento verde das plantas que tem ação antioxidante, ajudando a prevenir doenças como câncer e diabetes.

A microalga chlorella é normalmente usada como suplemento, podendo ser indicada para fortalecer o sistema imunológico, contribuir para diminuir os níveis de colesterol e açúcar no sangue e regular a pressão alta. Além disso, a chlorella  também é indicada para pessoas vegetarianas e veganas, pois é rica em proteínas e, por ser um ótimo antioxidante, é recomendada em dietas para desintoxicar o fígado. Conheça outras formas de desintoxicar o fígado

A chlorella pode ser encontrada em lojas de produtos naturais, em algumas farmácias de manipulação ou online.

Principais benefícios para a saúde

A chlorella além de ser baixa em calorias, é rica em fibras, proteínas, vitaminas do complexo B, vitamina C, ferro, potássio e ômega 3, oferecendo diversos benefícios para a saúde, como:

  • Ajudar na manutenção da massa muscular, já que aproximadamente 60% desta microalga é constituída por proteína;
  • Prevenir a anemia, por ser rica em ferro e vitamina C que favorecem a produção de glóbulos vermelhos no sangue;
  • Melhorar a saúde da pele e cabelos, por ser rica em betacaroteno, ômega 3 e vitamina C, que hidratam a pele e estimulam a produção de colágeno, prevenindo o aparecimento de rugas e fortalecendo os fios de cabelo;
  • Evitar inflamações, pois contém ômega-3, beta caroteno e clorofila, que são nutrientes com alto poder anti inflamatório;
  • Reduzir o colesterol, pois contém niacina, fibras e antioxidantes que inibem a formação das placas de gordura nas artérias;
  • Estimular o sistema imunológico, pois é rica em beta-glucanos, um tipo de fibra, ômega 3, vitamina C e betacarotenos, que estimulam as células de defesa do organismo;
  • Prevenir alguns tipos de câncer, pois é fonte de vitamina C e antioxidantes, presentes na clorofila, que têm efeitos anticancerígenos;
  • Controlar a pressão alta, por conter nutrientes como arginina, cálcio, potássio e ômega-3, que ajudam a relaxar e evitar inflamações nos vasos sanguíneos;
  • Ajudar a equilibrar o açúcar no sangue, pois as fibras, e os componentes antioxidantes e anti-inflamatórios da chlorella diminuem a absorção do açúcar e melhoram a resistência da insulina, tornando-a mais eficaz;
  • Proteger o fígado, pois as fibras, e os antioxidantes da chlorella diminuem os níveis de colesterol e de açúcar no sangue em pessoas com gordura no fígado. Além disso, melhora a recuperação do fígado em pessoas com hepatite C e na detoxificação do fígado, pois aumenta a eliminação de mercúrio pelas fezes.
  • A chlorella é ainda considerada uma das maiores fontes de clorofila das plantas, um nutriente com potente ação antioxidante que promove alguns benefícios para a saúde, como melhorar a cicatrização de feridas, úlceras e hemorroidas, e contribui para a melhora de doenças do sistema nervoso, como Alzheimer e depressão. Saiba mais sobre os benefícios da clorofila

    É importante lembrar que os benefícios da chlorella só são obtidos quando é consumida na forma de suplemento, pois o organismo humano não consegue digerir a  microalga in natura.

    Qual a diferença entre chlorella e spirulina?

    Assim como a chlorella, a spirulina também é uma microalga e pode ser usada como suplementação em forma de cápsulas, comprimidos ou pó, ou alimentos fortificados com as microalgas, como macarrão, biscoitos e pães. 

    No entanto, existe uma diferença na composição nutricional entre as duas microalgas. A spirulina tem menor quantidade de carboidratos e maior quantidade de gorduras e proteínas que a chlorella. Conheça mais sobre as propriedades e como consumir a spirulina

    Informações nutricionais da chlorella

    A informação nutricional da chlorella varia de um suplemento para outro, já que depende do tipo de microalga. No entanto, de forma geral os valores são os seguintes:

    Componentes

    Quantidade em 100 g de Chlorella

    Energia

    403 calorias

    Carboidratos

    2,1 g

    Lipídios

    12 g

    Fibra

    11 g

    Proteínas

    61 g

    Vitamina A

    10000 µg

    Carotenoides

    613 mg

    Vitamina E

    26,9 mg

    Vitamina K

    735 µg

    Vitamina B2

    6,02 mg

    Vitamina B3

    53,3 mg

    Ácido fólico

    2400 µg

    Vitamina B12

    37 µg

    Potássio

    804 mg

    Cálcio

    225 mg

    Magnésio

    276 mg

    Ferro 

    132 mg

    Iodo

    113 µg

    Clorofila

    3300 mg

    É importante lembrar que, para se ter os efeitos benéficos com o consumo de chlorella, é necessário manter uma dieta equilibrada, orientada por um nutricionista e manter a prática regular de atividade física.

    Como consumir a chlorella

    A chlorella pode ser consumida na forma de comprimidos, cápsulas ou pó, ou em produtos fortificados com a microalga, como macarrão, biscoitos, pães e iogurtes. A suplementação recomendada é de 6 a 10 g por dia e seu uso pode ser feito entre 4 a 18 semanas, de acordo com os objetivos e avaliação de um médico ou nutricionista.

    Pode-se adicionar a chlorella em pó a sucos naturais, saladas, água, iogurte e frutas. As cápsulas ou comprimidos normalmente devem ser ingeridos com água, junto às refeições, sendo importante seguir as instruções do fabricante e as recomendações do médico ou nutricionista.

    Possíveis efeitos colaterais

    O consumo da chlorella pode provocar alteração da cor das fezes, que ficam esverdeadas, devido à alta quantidade de clorofila que a microalga possui. No entanto, esse efeito não prejudica a saúde.

    Quando consumida em excesso, a chlorella pode causar diarreia, náuseas, vômitos, coceira e erupções na pele.

    Quem não deve tomar

    O consumo da chlorella deve ser evitado por pessoas que são alérgicas a frutos do mar. As crianças também devem evitar a ingestão da microalga. Já mulheres grávidas ou que amamentam devem ser avaliadas por um médico e ou nutricionista antes de iniciarem com a suplementação. Pessoas com problemas renais também devem consultar um nefrologista antes de iniciar o consumo de chlorella.

    Receitas com chlorella

    A  chlorella pode ser usada de diversas formas em saladas, iogurtes, frutas, na base de panquecas ou em molhos.

    1. Guacamole com chlorella

    Chlorella: o que é, para que serve e como usar

    Ingredientes:

    • 4 abacates do tipo avocado maduros;
    • 1 pimenta jalapeño;
    • 1 tomate;
    • 1/2 cebola roxa ou branca;
    • 1 limão;
    • 2 dentes de alho;
    • 2 colheres de copa de coentro fresco;
    • 2 colheres de chá de chlorella;
    • ½ colher de chá de sal;
    • 1 ⁄ 2 colher de chá de pimenta do reino.

    Modo de preparo:

    Retirar o miolo e cortar os abacates em pedaços pequenos e colocá-los em uma tigela. Picar a pimenta jalapeño bem fina. Cortar os tomates e as cebolas em cubos grandes. Picar os dentes de alho em pedaços bem pequenos. Picar o coentro. Colocar todos os ingredientes na tigela juntamente com o abacate e espremer o suco de limão por cima. Esmagar o abacate levemente, para que fique alguns pedaços um pouco maiores, com um garfo e misturar bem todos os ingredientes.

    2. Sorbet de banana com chlorella

    Chlorella: o que é, para que serve e como usar

    Ingredientes:

    • 4 bananas congeladas;
    • 2 kiwis;
    • 1 vagem de baunilha;
    • 1 colher de chá de clorela em pó;
    • 1 colher de chá de canela em pó.

    Modo de preparo:

    Descascar e cortar as bananas em fatias e colocar no congelador por pelo menos 4 horas, até congelar. Após, retirar as bananas do congelador e deixar em temperatura ambiente por 10 minutos. Colocar todos os ingredientes, exceto o kiwi, no liquidificador ou processador e bater por aproximadamente 5 minutos, até obter uma consistência de sorvete. Descascar os kiwis e cortá-los em rodelas ou picados para decorar o sorvete de banana. O sorbet deve ser batido apenas na hora de consumir e, para manter a consistência, não pode ser congelado depois de pronto.