Autismo: o que são, sintomas, causas e tratamento

Autismo: o que é, sintomas, causas e tratamento
Spread the love

O Autismo, cientificamente conhecido como Transtorno do Espectro Autista, é uma síndrome caracterizada por problemas na comunicação, socialização e comportamento geralmente, diagnosticados entre as idades 2 e 3 anos.

Essa síndrome faz com que a criança tenha algumas características específicas, como dificuldade em falar e expressar ideias e sentimentos, mal-estar no meio dos outros e pouco contato com os olhos, além de padrões e estereótipos repetitivos, como ficar muito longe sentado balançar para frente e para trás.

Principais sintomas

Alguns dos sintomas e características mais comuns do autismo incluir:

  • Dificuldade na interação social, como contato visual, expressão facial, gestos, dificuldade em fazer amigos, dificuldade em expressar emoções,
  • Decisão de conversação em comunicação, como dificuldade em lançar ou manter uma conversa, uso repetido da linguagem?
  • Mudanças de comportamento, como o desconhecendo jogo de make-account, padrões de comportamento Repetitivo, que possuem um forte interesse em algo específico, como a asa de um

Esses sinais e sintomas variam de leve, o que pode até passar despercebidos, mas também pode ser leve a grave, o que impede significativamente o comportamento e a comunicação da criança.

Veja como localizar os principais sintomas do autismo

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de autismo é realizado por pediatra ou pediatra, ao observar a criança e realizar alguns exames diagnósticos, entre as idades de 2 e 3 anos.

Pode-se confirmar do autismo, quando a criança apresenta características das 3 áreas afetadas nessa síndrome: interação social, mudança comportamental e falhas de comunicação. Não é necessário apresentar uma extensa lista de sintomas para o médico chegar ao diagnóstico, pois essa síndrome é manifestada em graus variados e por isso a criança pode ser diagnosticada com autismo leve, por exemplo. Veja os sinais de autismo de luz.

Então o autismo pode, às vezes, ser quase imperceptível e pode ser confundido com timidez, falta de atenção ou excentricidade, como acontece no caso da síndrome de Asperger e autismo de alta funcionalidade, por exemplo. Portanto, o diagnóstico de autismo não é simples, e em caso de suspeita é importante ir ao médico, para que seja ele a avaliar o desenvolvimento e o comportamento da criança, podendo mostrar o que tem e como tratá-lo.

O que causa o autismo

Qualquer criança pode desenvolver o autismo, e suas causas ainda são desconhecidas, mesmo que mais e mais pesquisas se desenvolviam para descobrir. 

Alguns estudos já conseguiram identificar potenciais fatores genéticos, que podem ser hereditários, mas também é possível que fatores ambientais como infecção por certos vírus, consumo de alimentos ou o contato com substâncias intoxicantes como chumbo e mercúrio, por exemplo, tenham uma influência significativa no desenvolvimento da doença.

Algumas das maiores causas possíveis incluem:

  • Proficiência e anormalidade cognitiva da causa causa genética e hereditária, como observado que Algumas melodias apresentam um cérebro maior e mais pesado e que os nervosos
  • Fatores Ambientais, como o ambiente familiar, complicações durante a gravidez ou o parto;
  • Mudanças químicas-químicas do corpo que se caracteriza por serotonina excessiva no sangue;
  • cromossomo estado hiperfísico documentado com o desaparecimento ou sobreposição do cromossomo 16.

Além disso, há estudos indicando algumas vacinas, ou Seja substituído pelo Excesso de ácido fólico durante a gravidez, no entanto, ainda não há conclusões definitivas em relação a

Como tratar

O tratamento vai depender do tipo de autismo que mantém a criança e do grau de comprometimento, mas pode ser feito por:

  • Uso de medicamentos a serem determinados pelo médico.
  • Sessões de fotopastologia para melhorar a fala e a comunicação?
  • A terapia comportamental para facilitar as atividades do dia-a-dia,
  • A terapia do grupo para melhorar a socialização das Crianças.

Apesar do autismo que não tem tratamento, o tratamento, quando realizado adequadamente, pode facilitar o cuidado da criança, tornando a vida dos pais um pouco mais facilitada. Em casos mais leves, a ingestão de medicações nem sempre é necessária e a criança pode levar uma vida bem próxima do normal, podendo estudar e operar sem restrições. Confira mais detalhes e opções para o processamento de autismo.

Author: admin