• seg. maio 16th, 2022

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

5 exames para detectar a endometriose

Byadmin

ago 26, 2021
5 exames para detectar a endometriose
Spread the love

Em caso de suspeita de endometriose, o ginecologista pode indicar a realização de alguns exames para avaliar a cavidade uterina e o endométrio, como o ultrassom transvaginal, ressonância magnética e dosagem do marcador CA 125 no sangue, por exemplo. No entanto, nos casos em que os sintomas são muito intensos, o médico pode indicar a realização de exames que permitam avaliar outras partes do corpo e assim verificar a gravidade da endometriose.

A endometriose é caracterizada pela presença de tecido endometrial, que é o tecido que reveste internamente o útero, em locais fora do útero, como no peritônio, ovários, bexiga ou nos intestinos, por exemplo. Normalmente o ginecologista pede estes exames quando há suspeita da doença por haver sintomas como cólicas menstruais muito intensas e de caráter progressivo, dor durante o contato íntimo ou dificuldade para engravidar. 

Se acha que pode ter endometriose, selecione os seus sintomas, para saber quais as chances:

  • 1. Dor intensa na região pélvica e que piora durante a menstruação Não Sim
  • 2. Menstruação abundante Não Sim
  • 3. Cãibras durante a relação sexual Não Sim
  • 4. Dor ao urinar ou defecar Não Sim
  • 5. Diarreia ou prisão de ventre Não Sim
  • 6. Fadiga e cansaço excessivo Não Sim
  • 7. Dificuldade para engravidar Não Sim
  • Imagem que indica que o site está carregando

    Os exames que normalmente são pedidos pelo médico para ajudar no diagnóstico da endometriose são:

    1. Exame ginecológico

    O exame ginecológico pode ser realizado na investigação e diagnóstico da endometriose, devendo o ginecologista observar a vagina e útero com o espéculo. Além disso, de acordo com as características observadas, pode ser também realizada a observação do reto com o objetivo de procurar cistos, o que pode ser indicativo de endometriose intestinal.

    2. Ultrassom pélvica ou transvaginal

    O exame de ultrassom é um dos primeiros exames realizados na investigação da endometriose, podendo ser pélvico ou realizado por via transvaginal. Para fazer esse exame é recomendado esvaziar completamente a bexiga, pois assim é possível visualizar melhor os órgãos.

    O exame de ultrassom é muito útil também no diagnóstico da endometriose ovariana, em que o tecido endometrial cresce nos ovários, mas também consegue identificar a endometriose na bexiga, vagina e na parede do reto.

    3. Exame de sangue CA 125

    O CA 125 é um marcador que está presente no sangue e suja dosagem é normalmente solicitada para avaliar o risco da pessoa desenvolver câncer ou cisto no ovário e endometriose, por exemplo, já que nessas situações os níveis de CA 125 no sangue estão elevados. Assim, quando o resultado do CA 125 é superior a 35 UI/mL é importante que o médico solicite outros exames para que seja possível confirmar o diagnóstico. Veja o que é o exame CA 125 e como entender o resultado.

    4. Ressonância magnética

    A ressonância magnética é solicitada quando há suspeita de massas ovarianas que precisam ser melhor avaliadas, além de também ser indicada com o objetivo de investigar a endometriose profunda, que afeta também o intestino. Esse exame pode mostrar as fibroses espalhadas e as alterações na pelve, no tecido subcutâneo, na parede abdominal, e até mesmo na superfície do diafragma. 

    5. Videolaparoscopia

    A videolaparoscopia é o melhor exame para identificar a endometriose porque não deixa nenhuma dúvida da doença, no entanto não é o primeiro exame a ser realizado, já que se trata de um exame mais invasivo, além de que é possível concluir o diagnóstico por meio da realização de outros exames.

    Além de poder ser indicado no diagnóstico da endometriose, a videolaparoscopia pode também ser solicitado para acompanhar a evolução da doença e verificar se está havendo resposta ao tratamento. Entenda como é feita a videolaparoscopia.

    Exames complementares

    Existem outros exames complementares que também podem ser solicitados, como uro ressonância ou ecoendoscopia retal, por exemplo, os quais ajudam a observar melhor os locais onde o tecido do endométrio está crescendo para que dessa forma o melhor tratamento possa ser iniciado, que pode ser feito com a pílula contínua, durante 6 meses. Neste período, o médico pode voltar a repetir a laparoscopia para avaliar a evolução da doença. 

    Nos casos mais graves, pode ser necessária a realização de cirurgia para retirar o tecido que está crescendo fora do útero, podendo provocar infertilidade se os órgãos pélvicos também forem retirados. Veja como é feita a cirurgia para endometriose.

    Assista o vídeo com a Dra. Helizabet Ribeiro, ginecologista especializada em endometriose que esclarece todas as dúvidas sobre a essa doença: