• dom. set 19th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Joelho valgo: o que é, como identificar e tratamento

Byadmin

set 8, 2021
Joelho valgo: o que é, como identificar e tratamento

O joelho valgo, também conhecido como geno valgo, é uma situação em que os joelhos estão desalinhados e voltados para dentro, encostando um no outro. Assim, devido à posição do joelho, essa situação também pode ser conhecida popularmente como “pernas em forma de X” e “pernas de tesoura”.

É importante que o ortopedista seja consultado para que seja feita uma avaliação e possa ser identificada a causa do joelho valgo, pois assim é possível iniciar o tratamento mais adequado para prevenir as possíveis complicações do joelho valgo, como maior risco de artrose, luxação, dor lombar e dificuldade para andar, por exemplo.

Como identificar o joelho valgo

A identificação do joelho valgo é feita pelo ortopedista por meio da observação das pernas da pessoa na posição de pé e com os pés paralelos. Assim, ao ficar nessa posição, é possível observar que os joelhos estão voltados para dentro.

Outra forma de identificar o joelho valgo é vendo se os tornozelos e joelhos se tocam quando as pernas estão juntas. Caso os joelhos se toquem e exista um espaço entre os tornozelos, o médico pode confirmar que a pessoa possui joelho valgo. Além disso, o médico pode também solicitar a realização de exames de imagem para confirmar o desalinhamento do joelho e verificar se há alguma outra lesão associada.

Nem sempre esse desvio dos joelhos causa dor ou desconforto, embora possa aumentar o risco de artrose nessa articulação, luxação patelar, estiramento do ligamento colateral medial, diminuição da amplitude do movimento, alteração da forma de andar e dor na lombar, pés, tornozelos e quadril.

Principais causas

O joelho valgo pode ter causa congênita ou ser adquirido. No caso do joelho vago congênito, essa alteração acontece como consequência do desenvolvimento ósseo do bebê. Já quando possui causa adquirida, o joelho valgo pode ser consequência de:

  • Mal formação e desenvolvimento das pernas;
  • Rigidez no tornozelo;
  • Exercícios físicos mal executados, como agachamento;
  • Fatores genéticos;
  • Doenças, como o escorbuto e o raquitismo, em que a deficiência de vitaminas leva à fraqueza nos ossos.

Normalmente as crianças nascem com joelho valgo ou varo, mas isso é corrigido ao longo do crescimento. Caso não haja correção, o joelho valgo pode favorecer a ocorrência de entorses, artrose, tendinite e bursite.

Como é feito o tratamento

O tratamento do joelho valgo deve ser orientado pelo o ortopedista de acordo com o grau de alteração do joelho e idade da pessoa. No caso das crianças, o joelho normalmente volta ao posicionamento normal ao longo do tempo, não sendo necessária realização de tratamento específico. Porém o tratamento pode ser indicado em caso de alterações muito acentuadas que podem interferir na caminhada da criança, ou resultar em deformidade definitiva ou artrose.

Além disso, o tratamento pode variar de acordo com a causa do joelho valgo, de forma que quando é causada por deficiências nutricionais, pode ser indicada a suplementação da vitamina que está em concentrações mais baixas no organismo.

Em alguns casos, pode ser recomendada também a utilização de órteses no joelho com o objetivo de estimular o desenvolvimento da cartilagem e garantir maior mobilidade da pessoa, ou realização de cirurgia para alinhar a articulação ou retirar parte do osso.

A realização de fisioterapia e exercícios também é fundamental no tratamento do joelho valgo, pois ajuda a corrigir a posição da articulação, promove o fortalecimento dos músculos da região e garante a mobilidade da pessoa.

Exercícios para joelho valgo

Os exercícios para joelho valgo devem ser feitos pelo fisioterapia e tem como objetivo promover o fortalecimento dos músculos da parte da frente e lateral da coxa, pois assim é possível garantir maior estabilidade da articulação do joelho. Além disso, são realizados exercícios para alongar os músculos lateral e posterior da coxa.

É aconselhado evitar certos tipos de exercícios, como corrida e agachamento, e diminuir a intensidade e o ritmo da atividade física.