• dom. set 19th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Olhos amarelados: o que pode ser e o que fazer

Byadmin

set 3, 2021
Olhos amarelados: o que pode ser e o que fazer

Os olhos amarelados normalmente surgem quando existe um acúmulo excessivo de bilirrubina no sangue, uma substância amarela que é produzida pelo fígado a partir da destruição dos glóbulos vermelhos do sangue, e que é armazenada na vesícula biliar para ser eliminada nas fezes ou urina. Quando existe algum problema no fígado, na vesícula biliar ou no pâncreas, como cirrose, pedra na vesícula ou pancreatite, por exemplo, a bilirrubina não é eliminada do corpo, se acumulando no sangue e causando os olhos amarelados.

No entanto, os olhos amarelados também são muito frequentes nos recém-nascidos, conhecidos como icterícia neonatal, mas nesses casos, geralmente acontece porque o fígado ainda não está completamente desenvolvido, não sendo um sinal de problema grave.

De qualquer forma é sempre importante consultar o clínico geral quando surgem os olhos amarelados, para fazer exames e identificar se existe alguma alteração no fígado, ou nos órgãos do sistema digestivo, para iniciar o tratamento mais adequado que vai depender da causa.

1. Hepatite

A hepatite é uma inflamação do fígado que, geralmente, é causada pelo vírus da hepatite A, B ou C, mas que também pode ocorrer devido ao uso de medicamentos. Essa inflamação altera o funcionamento do fígado, dificultando o transporte da bilirrubina para os ductos biliares, que é então eliminada na corrente sanguínea, levando ao aparecimento de pele e olhos amarelados, além de sintomas como dor abdominal, náuseas ou vômitos, por exemplo.

O que fazer: é importante consultar um clínico geral ou hepatologista, que deve solicitar exames de sangue para avaliar a quantidade de bilirrubina no sangue e identificar o tipo de vírus para iniciar o tratamento mais adequado, que pode incluir repouso ou uso de medicamentos como interferon, adefovir ou entecavir, por exemplo. Saiba mais sobre o tratamento da hepatite.

2. Cirrose

A cirrose pode causar olhos amarelados e urina escura, além de outros sintomas como  fezes esbranquiçadas, inchaço nas pernas, náuseas ou vômitos, principalmente quando está no estágio mais avançado.

Esta doença ocorre quando álcool, gordura no fígado ou hepatite causam destruição permanente das células hepáticas, fazendo com estas células sejam substituídas por tecido fibroso, como se fosse uma cicatriz, dificultando o trabalho do fígado.

O que fazer: deve-se consultar o hepatologista para iniciar o tratamento que varia de acordo com o que causou a cirrose, podendo ser feito com a suspensão do uso de bebidas alcoólicas, dieta pobre em gorduras ou uso de medicamentos diuréticos para reduzir o inchaço no corpo. Nos estágios mais graves, o médico pode indicar o transplante de fígado. Saiba mais sobre o tratamento da cirrose.  

3. Anemia hemolítica

A anemia hemolítica é um tipo doença autoimune em que o sistema imunológico produz anticorpos que atacam e destroem as células vermelhas do sangue. Quando isto acontece, a bilirrubina é liberada na corrente sanguínea causando olhos amarelados, além de cansaço excessivo, barriga inchada ou dor no peito, por exemplo.

O que fazer: deve-se consultar um clínico geral ou hematologista para iniciar o tratamento que pode ser feito com o uso de corticoides ou remédios imunossupressores. Nos casos mais graves, pode ser necessário fazer cirurgia para remover uma parte do baço. Saiba mais sobre o tratamento da anemia hemolítica.  

4. Pedra na vesícula

A pedra na vesícula ocorre quando uma pequena pedra bloqueia os ductos da vesícula biliar, impedindo a saída da bilirrubina para o intestino, que é então liberada no sangue, causando olhos amarelados. Além disso, a pedra na vesícula pode ainda causar sintomas como forte dor do lado direito da barriga, principalmente após as refeições, diarréia constante, febre, náuseas ou vômitos.   

O que fazer: deve-se procurar o clínico geral ou o gastroenterologista que deve solicitar exame de sangue e exames de imagem como ultrassom, ressonância magnética, cintilografia ou tomografia computadorizada, para verificar o tamanho e a quantidade de pedras na vesícula. Geralmente, quando a pedra é pequena, o tratamento pode incluir o uso do remédio Ursodiol para ajudar a desfazer a pedra. No entanto, nos casos em que a pedra é grande e a pessoa apresenta febre e forte dor abdominal, o médico pode indicar a cirurgia para retirar a vesícula biliar. Saiba como é feita a cirurgia de vesícula biliar.

5. Pancreatite

A pancreatite é a inflamação do pâncreas, que pode causar olhos amarelados, dor intensa do lado esquerdo da barriga que pode irradiar para as costas, além de outros sintomas como náuseas, vômitos ou febre.

O que fazer: deve-se consultar o clínico geral ou gastroenterologista para que seja feita a internação hospitalar e iniciar o tratamento mais adequado que pode ser feito com administração de soro na veia e de remédios analgésicos para controlar a dor. Em casos mais graves, o médico pode sugerir a realização de cirurgia. Além disso, é importante fazer mudanças na alimentação evitando alimentos gordurosos, e tomar suplementos de enzimas pancreáticas de acordo com a recomendação médica. Saiba mais sobre o tratamento da pancreatite.  

6. Icterícia neonatal

A icterícia neonatal é uma alteração muito comum no recém-nascido, especialmente em prematuros, que se caracteriza pelo excesso de bilirrubina na corrente sanguínea, causando olhos e pele amarelados. Essa condição ocorre porque o fígado do bebê não está completamente maduro ao nascer, dificultando a eliminação da bilirrubina.

O que fazer: deve-se consultar o pediatra para que seja feita  uma avaliação da saúde do bebê e indicar o melhor tratamento. A icterícia neonatal nem sempre necessita de tratamento, sendo somente indicado que o bebê seja amamentado ou tome a mamadeira a cada 2 horas para facilitar a eliminação de resíduos intestinais. No entanto, se a icterícia se agravar ou se o bebê apresentar olhos e pele muito amarelados pode ser feita à fototerapia, na qual o bebê deve permanecer durante todo o tempo numa incubadora com luz direta sobre ele, sendo retirado somente para ser alimentado, para as mudas das fraldas e para o banho. Saiba mais sobre o tratamento da icterícia neonatal.

7. Malária

A malária é uma doença infecciosa causada pelo mosquito Anopheles infectado pelo protozoário do gênero Plasmodium que se multiplica no fígado e depois atinge a corrente sanguínea, onde invade e rompe os glóbulos vermelhos do sangue. Devido à destruição dos glóbulos vermelhos, existe liberação de bilirrubina na corrente sanguínea, o que provoca sintomas como olhos amarelados e dor de cabeça, além de febre, suor, calafrio, náuseas, vômitos ou fraqueza, por exemplo.

O que fazer: deve-se consultar o clínico geral para iniciar o tratamento da malária, que deve ser feito com o uso de remédios antimaláricos como cloroquina, primaquina ou mefloquina, por exemplo. Saiba mais sobre o tratamento da malária.  

8. Pinguécula

A pinguécula é degeneração da conjuntiva do olho que ocorre por um crescimento de tecido constituído por proteínas, gordura e cálcio, com cor amarela, causando olho amarelado e outros sintomas como sensação de olho seco e irritado, inchaço, vermelhidão, visão turva e coceira no olho.

O que fazer: deve-se consultar o oftalmologista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, que pode ser feito com o uso de colírios e pomadas oculares. Em alguns casos, também pode ser recomendada a cirurgia. 

9. Câncer de fígado

O câncer de fígado é um tipo de tumor maligno que quando está numa fase inicial pode não apresentar sintomas, mas à medida que a doença avança, podem surgir sintomas como pele e olhos amarelados, dor no abdômen, perda de peso ou inchaço na barriga, por exemplo.

O que fazer: é importante consultar o oncologista ou hepatologista sempre que existir suspeita de câncer ou outro problema grave no fígado, para identificar a causa e iniciar o tratamento. No caso do câncer, o médico pode indicar cirurgia, quimioterapia ou transplante de fígado. Veja todas as opções de tratamento para o câncer do fígado.