• ter. out 19th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Encefalopatia hepática: o que é, sintomas e tratamento

Byadmin

set 3, 2021
Encefalopatia hepática: o que é, sintomas e tratamento

A encefalopatia hepática é uma doença caracterizada pelo mau funcionamento do cérebro devido a problemas no fígado como insuficiência hepática, tumor ou cirrose, havendo alterações do comportamento, do sono, inchaço abdominal, olhos amarelados e confusão mental, por exemplo.

Uma das funções do fígado é filtrar o sangue vindo da digestão pois ele é responsável por metabolizar substâncias consideradas tóxicas para alguns órgãos. Quando o fígado não consegue filtrar corretamente este sangue, algumas substâncias tóxicas como a amônia chegam até o cérebro e ao sistema nervoso central causando a encefalopatia hepática.

É importante que a causa da encefalopatia hepática seja identificada pelo hepatologista, neurologista ou clínico geral para que seja possível dar início ao tratamento mais adequado para aliviar os sintomas e promover a qualidade de vida da pessoa, o que pode envolver o uso de medicamentos e alterações na alimentação.

Sintomas da encefalopatia hepática

Os sintomas de encefalopatia hepática estão relacionados com a inflamação do fígado e alterações no sistema nervoso causado pelo excesso de substâncias tóxicas que não foram devidamente metabolizadas pelo fígado, sendo os principais:

  • Lentificação do pensamento;
  • Sonolência;
  • Tremores;
  • Descoordenação motora;
  • Distúrbios comportamentais;
  • Alterações do sono;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Abdômen inchado;
  • Mau hálito;
  • Esquecimentos frequentes;
  • Confusão mental;
  • Coma, nos casos mais avançados e graves.

É importante que o hepatologista ou clínico geral seja consultado assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas de encefalopatia hepática, pois assim é possível que sejam realizados exames que ajudem a confirmar o diagnóstico, como exames de sangue e de imagem, incluindo tomografia computadorizada, ressonância magnética e eletroencefalograma, por exemplo. Na confirmação do diagnóstico, é importante que a pessoa seja acompanhada regularmente pelo hepatologista e pelo neurologista.

Principais causas

O desenvolvimento da encefalopatia hepática está relacionada com alterações do funcionamento do fígado, o que exista aumento dos níveis de substâncias tóxicas no organismo, principalmente de amônia, que podem interferir diretamente no sistema nervoso, resultando no desenvolvimento da doença. Assim, algumas das principais causas de encefalopatia hepática são:

  • Consumo excessivo de proteínas;
  • Uso inadequado de medicamentos;
  • Alteração nos eletrólitos da corrente sanguínea, como pode ocorrer em caso de bulimia ou desidratação;
  • Sangramento do esôfago, estômago ou intestino;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Doença renal.

Além disso, a encefalopatia hepática pode acontecer como consequência da insuficiência hepática crônica e da cirrose descompensada.

Essas situações podem provocar sobrecarga ou inflamação crônica no fígado, interferindo diretamente no seu funcionamento, de forma que as substâncias tóxicas não são devidamente metabolizadas e eliminadas no organismo.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a encefalopatia hepática deve ser indicado pelo neurologista em conjunto com o hepatologista, podendo variar de acordo com a causa da alteração. Em alguns casos, pode ser recomendado o uso de alguns medicamentos, como lactulose, neomicina e rifaximina, por exemplo, que ajudam a aliviar os sintomas da encefalopatia hepática e, assim, promover a qualidade de vida da pessoa.

Além disso, pode também ser recomendado que a pessoa realize alterações na alimentação com o objetivo de diminuir a inflamação do fígado e promover o seu funcionamento correto. Assim, é indicado que exista diminuição da quantidade de proteínas consumidas, incluindo a soja e o tofu. É recomendado também evitar o consumo de alimentos ricos em gordura, bebidas alcoólicas e alimentos industrializados.