• sáb. set 25th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Cloroquina: o que é, para que serve e efeitos colaterais

Byadmin

set 1, 2021
Cloroquina: o que é, para que serve e efeitos colaterais

O Difosfato de cloroquina é um medicamento indicado para o tratamento da malária causada por Plasmodium vivax, Plasmodium malariae e Plasmodium ovale, amebíase hepática, artrite reumatoide, lúpus e doenças que provocam sensibilidade dos olhos à luz.

Este medicamento pode ser comprado em farmácias, mediante a apresentação de receita médica.

Como usar

A posologia de cloroquina depende da doença que se pretende tratar. Os comprimidos devem ser ingeridos após as refeições, de forma a evitar náuseas e vômitos.

1. Malária

O tratamento da malária com cloroquina geralmente é feito juntamente com o uso de primaquina, outro medicamento que ajuda a eliminar a infecção. O esquema de dosagem utiliza comprimidos de 150 mg de cloroquina e 15 mg de primaquina, e varia de acordo com a idade e/ou peso:

Idade/ pesoDia 1Dia 2Dia 3Dia 4 a 7Dia 84 a 8 anos (15 – 24 kg)

1 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

1 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

1 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

2 comp. primaquina

9 a 11 anos (25 – 34 kg)

2 comp. cloroquina

1 comp. primaquina

2 comp. cloroquina

1 comp. primaquina

2 comp. cloroquina

1 comp. primaquina

1 comp. primaquina

12 a 14 anos (35 – 49 kg)

3 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

2 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

2 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

1 comp. primaquina

Mais de 15 anos (50 – 69 kg)

4 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

3 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

3 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

2 comp. primaquina

Mais de 15 anos (70 – 79 kg)

4 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

3 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

3 comp. cloroquina

2 comp. primaquina

2 comp. primaquina

2 comp. primaquina

Embora exista um esquema de tratamento para o uso de cloroquina no tratamento da malária, é sempre importante consultar um clínico geral ou um pediatra para ajustar o tratamento de acordo com o peso e o estado de saúde individual.

Não existe número de comprimidos de cloroquina adequado para crianças com peso corporal abaixo de 15 kg, pois as recomendações terapêuticas incluem comprimidos fracionados.

2. Lúpus eritematoso e artrite reumatoide

A dose máxima recomendada em adultos é de 465 mg de cloroquina base (3 comprimidos) ao dia, durante os primeiros 10 dias, continuando com o uso de 155 mg de cloroquina base, por dia, por mais 3 a 5 semanas.

3. Amebíase extra-intestinal

A dose recomendada em adultos é de 465 mg de cloroquina base (3 comprimidos) por dia na primeira semana, seguida de 310 mg de cloroquina base (2 comprimidos) por dia na segunda semana, e 155 mg de cloroquina base (1 comprimido) por dia na terceira semana de tratamento.

Em crianças, a dose recomendada é de 10 mg/kg/dia de cloroquina base, durante 2 dias, seguida de 5 mg/kg/dia durante 14 a 28 dias.

A cloroquina é recomendada para tratar a COVID-19?

A OMS desaconselha o uso de cloroquina no tratamento da COVID-19 pois a maioria dos estudos demonstra que o medicamento não diminui o tempo de internamento, não reduz a taxa de mortalidade e também não evita o desenvolvimento de uma infecção grave.

Além disso, a cloroquina está associada a um aumento de efeitos colaterais, especialmente diarreia e vômitos, que podem resultar em queda da pressão arterial e problemas renais. A cloroquina também tem um potencial tóxico sobre as células cardíacas e, por isso, só deve ser indicada quando os benefícios do seu uso são superiores aos riscos, o que não se observa no casos de infecção por COVID-19.

A venda de cloroquina continua sendo permitida pela Anvisa, mas apenas para o tratamento de doenças que já demonstraram beneficiar do seu uso, como é o caso da malária, lúpus e artrite reumatoide.

Veja os resultados dos estudos feitos com a cloroquina para tratar a COVID-19 e outros remédios que também estão sendo investigados.

Quem não deve usar

Este medicamento não deve ser usado em pessoas que tenham hipersensibilidade a qualquer um dos componentes presentes na fórmula, pessoas com epilepsia, miastenia gravis, psoríase ou outra doença esfoliativa.

Além disso, não deve ser usado para tratar a malária em pessoas com porfiria cutânea tardia e deve ser usado com cautela em pessoas com doença hepática e distúrbios gastrointestinais, neurológicos e sanguíneos.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso de cloroquina são dor de cabeça, enjoo, vômitos, diarreia, dor de barriga, coceira, irritação e manchas avermelhadas na pele.

Além disso, pode também ocorrer confusão mental, convulsões, queda da pressão sanguínea, alterações no electrocardiograma e visão dupla ou borrada.