• sáb. set 25th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Hipoglicemia reativa: o que é, sintomas e como é a dieta

Byadmin

ago 31, 2021
Hipoglicemia reativa: o que é, sintomas e como é a dieta

A hipoglicemia reativa, ou hipoglicemia pós-prandial, é uma condição caracterizada pela diminuição dos níveis de glicose no sangue até 4 horas após uma refeição, sendo também acompanhada por sintomas típicos de hipoglicemia, como dor de cabeça, tremores e tonturas.

Essa condição muitas vezes não é diagnosticada corretamente, sendo considerada apenas uma situação de hipoglicemia comum e que estaria relacionada com estresse, ansiedade, síndrome do intestino irritável, enxaqueca e intolerâncias alimentares, por exemplo. No entanto a hipoglicemia reativa precisa ser diagnosticada corretamente para que a sua causa possa ser investigada e o tratamento adequado possa ser indicado.

Hipoglicemia reativa: o que é, sintomas e como é a dieta

Sintomas da hipoglicemia reativa

Os sintomas de hipoglicemia reativa estão relacionados com a diminuição da quantidade de glicose circulante no sangue e, por isso, os sintomas são os mesmos que o de uma hipoglicemia consequente do uso de alguns medicamentos ou de jejum prolongado, sendo os principais:

  • Dor de cabeça;
  • Fome;
  • Tremores;
  • Enjoo;
  • Suor frio;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Sonolência ou agitação;
  • Palpitações;
  • Dificuldade de raciocínio.

Para que seja confirmada a hipoglicemia reativa, é preciso que além dos sintomas a pessoa apresente quantidades baixas de glicose circulante no sangue após a refeição e que seja verificada melhora nos sintomas após consumo de alimentos açucarados. A identificação da causa é importante para que seja inciado o tratamento, que é estabelecido pelo endocrinologista de acordo com a causa.

Principais causas

A hipoglicemia reativa é consequência de doenças pouco comuns e, por isso, muitas vezes o diagnóstico dessa condição é errado. As principais causas de hipoglicemia reativa são a intolerância hereditária à frutose, síndrome pós-cirurgia bariátrica e insulinoma, que é uma condição caracterizada pelo excesso de produção de insulina pelo pâncreas, havendo diminuição rápida e excessiva da quantidade de glicose circulante. Saiba mais sobre o insulinoma.

Como é feito o diagnóstico

Devido ao fato dos sintomas da hipoglicemia reativa serem os mesmos que os da hipoglicemia comum, o diagnóstico é muitas vezes feito de forma errada. Por isso, para se fazer o diagnóstico da hipoglicemia pós-prandial deve ser considerada a tríade de Whipple, em que a pessoa deve apresentar obrigatoriamente os seguintes fatores para que seja concluído o diagnóstico:

  • Sintomas de hipoglicemia;
  • Concentração de glicose no sangue medida em laboratório inferior a 50 mg/dL;
  • Melhora dos sintomas após consumo de carboidratos.

Para que seja possível haver a melhor interpretação dos sintomas e dos valores obtidos, é recomendado que no caso de ser investigada a hipoglicemia reativa, a pessoa que apresenta sintomas vá ao laboratório e seja feita a coleta de sangue após a refeição e permaneça no local por cerca de 5 horas. Isso porque também deve ser observada a melhora dos sintomas de hipoglicemia após consumo de carboidratos, que deve acontecer após a coleta.

Dessa forma, caso seja verificado no exame de sangue baixas concentrações de glicose circulantes e melhora dos sintomas após consumo de carboidratos, é conclusivo de hipoglicemia pós-prandial, sendo recomendada a investigação para que seja iniciado o tratamento mais adequado.

Dieta para hipoglicemia reativa

A alimentação é parte importante no tratamento da hipoglicemia reativa, pois é essencial que os níveis de açúcar sejam mantidos constantes no sangue, sendo recomendado que sejam feitas refeições com intervalos de 2 a 3 horas entre cada uma.

É recomendado dar preferência a alimentos ricos em fibras, como cereais integrais, verduras e frutas, além de alimentos ricos em proteínas como carne magra, peixe e ovo e em carboidratos complexos como por exemplo pão integral, arroz e massa, sendo que a versão integral destes alimentos também possui mais fibra.

No café da manhã e lanches, deve-se dar preferência a alimentos com carboidratos complexos e de baixo índice glicêmico, como pão integral com queijo fresco ou torradas integrais com iogurte. Ao almoço e jantar, o prato deve ter sempre metade com verduras e na outra metade o arroz, massa ou batata com a carne, peixe, ovo ou feijão.

Para evitar as crises de hipoglicemia reativa não se deve comer alimentos ricos em açúcares e carboidratos simples como bolos, bolachas, chocolates, rebuçados, refrigerantes, alimentos refinados como pão branco. É importante também excluir da alimentação as bebidas alcoólicas.