• sáb. set 25th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

11 dúvidas comuns sobre o uso do anel vaginal

Byadmin

ago 30, 2021
11 dúvidas comuns sobre o uso do anel vaginal

O anel vaginal é um método contraceptivo que evita a ovulação através do efeito dos hormônios que contém no seu interior. Dessa forma, a mulher não tem estímulo hormonal para que exista a ovulação e, por isso, mesmo que o homem ejacule no interior da vagina, o espermatozoide não possui um óvulo para fecundar e gerar uma gravidez.

Este método consiste de um anel de um material flexível que deve ser usado durante 3 semanas seguidas e que, quando é colocado corretamente no interior da vagina, se adapta ao contorno do corpo, sem provocar qualquer tipo de desconforto. Conheça mais sobre o anel vaginal.

11 dúvidas comuns sobre o uso do anel vaginal

A seguir, esclarecemos as principais dúvidas sobre o anel vaginal:

1. Posso engravidar utilizando o anel?

O anel vaginal é um método contraceptivo bastante confiável que impede a ovulação e que, por isso, quando utilizado corretamente, apresenta chances de gravidez inferiores a 1%. Dessa forma, possui uma eficácia quase tão boa quanto o preservativo.

No entanto, se o anel ficar fora da vagina por mais de 3 horas ou se não for substituído da forma certa, é possível que a mulher possa ovular. Dessa forma, se tiver relações desprotegidas nos 7 dias antes ou depois da colocação do anel, existe a possibilidade de engravidar.

2. Posso ter contato íntimo desprotegido?

O efeito de proteção contra uma possível gravidez começa após 7 dias de uso contínuo do anel vaginal. Dessa forma, caso tenha relação sexual durante o intervalo entre a retirada e a colocação do anel vaginal, é possível ocorrer gravidez. Por isso, mulheres que não pretendem engravidar só devem praticar sexo desprotegido após esse período

No entanto, se a mulher não tiver apenas um parceiro sexual, é sempre recomendado utilizar também o preservativo, uma vez que o anel não protege contra possíveis infecções sexualmente transmissíveis.

3. Quando devo retirar o anel?

O anel deve ser utilizado durante 3 semanas e retirado no primeiro dia da 4ª semana, de forma a fazer uma pausa de 1 semana, para permitir que a menstruação desça. O novo anel só deve ser colocado após o último dia da 4ª semana, e até 3 horas após a hora em que foi colocado originalmente.

4. Posso usar o anel sem pausa?

Não, pois ao fim de 3 semanas não há liberação de hormônios em quantidade suficiente para inibir a ovulação, havendo risco de gravidez caso existe relação sexual desprotegida. No entanto, caso não se deseje ter a menstruação, é possível, ao fim de 3 semanas, inserir um novo anel vaginal, mantendo os níveis hormonais. No entanto, é importante consultar o ginecologista para que seja feita uma orientação mais adequada. 

5. O que devo fazer se o anel sair?

O que se deve fazer quando o anel sai da vagina varia de acordo com o tempo que esteve fora da vagina e da semana de utilização do anel. Assim, as orientações gerais são:

Menos de 3 horas

Quando a mulher tem a certeza que o anel está fora da vagina há menos de 3 horas, pode lavá-lo e voltar a colocar no local correto, independentemente da semana de utilização. Nestes casos não é necessário utilizar qualquer outro método de contracepção.

Mais de 3 horas

  • Na 1ª a 2ª semana: nestes casos o anel pode ser recolocado no local correto após ser lavado, no entanto, a mulher deve utilizar outro método contraceptivo, como o preservativo, durante 7 dias, para evitar uma gravidez. Se o anel sair durante a primeira semana e tiver acontecido uma relação desprotegida nos 7 dias anteriores, existe risco aumentado de a mulher poder estar grávida.
  • Na 3ª semana: a mulher pode optar entre colocar um novo anel sem fazer a pausa, utilizando-o novamente por 3 semanas seguidas,  ou fazer a pausa de 1 semana que deveria ser feita durante a 4ª semana. Está última opção só deve ser escolhida se não tiver acontecido relação desprotegida nos 7 dias anteriores.

Porém, em caso de dúvida sobre a saída do anel, é importante consultar o ginecologista para saber o que é mais aconselhado para cada caso.

6. Quem não pode tomar pílula, pode usar o anel?

Mulheres que não podem tomar a pílula devido à presença de hormônios não devem utilizar o anel, pois também contém o mesmo tipo de hormônios que a pílula.

No entanto, se o problema está no surgimento de efeitos colaterais intensos com o uso do anticoncepcional, o anel pode ser uma solução, pois possui um tipo de progesterona diferente da maioria das pílulas, diminuindo o risco de surgimento de efeitos colaterais como inchaço, aumento do peso, dor de cabeça ou inchaço dos seios.

7. Posso usar o anel junto com a pílula?

Assim como a pílula anticoncepcional, o anel vaginal utiliza hormônios para impedir a ovulação e evitar uma gravidez indesejada. Por isso, uma mulher que utiliza o anel não deve tomar também a pílula, pois estará aumentando a concentração de hormônios no organismo, o que pode levar ao surgimento de mais efeitos colaterais.

8. Usar o anel vaginal engorda?

Como qualquer outro remédio com hormônios, o anel pode causar alterações que levam ao aumento do apetite e à retenção de líquidos em todo o corpo, favorecendo o ganho de peso. O risco de surgimento destes tipos de efeitos, normalmente, é menor no anel, podendo ser usado como substituto em mulher que teve aumento de peso com a pílula, mas que precisa continuar a usar hormônios.

9. O anel pode causar sangramento fora do período?

Devido ao uso de hormônios, o anel possui o risco de causar sangramentos fora do período menstrual, no entanto, é uma alteração que não provoca qualquer risco para a saúde da mulher.

No entanto, se os sangramentos forem se tornando mais frequentes ou mais abundantes é recomendado informar o ginecologista para avaliar a necessidade de trocar de método contraceptivo.

10. Quais são as desvantagens do anel vaginal?

As desvantagens do anel vaginal estão principalmente relacionadas com os efeitos adversos que surgem devido à liberação dos hormônios, podendo haver aumento de peso, náuseas, dor de cabeça e aumento do aparecimento de acne. Além disso, esse método contraceptivo não protege contra infecções sexualmente transmissíveis, pode sair durante as relações sexuais e deve ser introduzido sempre no mesmo horário para garantir o efeito inibitório da ovulação.

11. O anel vaginal é oferecido pelo SUS?

O anel anticoncepcional não é um dos métodos contraceptivos oferecidos pelo SUS e, por isso, deve ser comprado nas farmácias convencionais quando indicado pelo ginecologista.