• dom. out 17th, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Diarreia verde: 7 causas e o que fazer

Byadmin

ago 27, 2021
Diarreia verde: 7 causas e o que fazer

A diarreia verde é uma condição que pode ocorrer pelo consumo excessivo de vegetais verde-escuros, café ou comidas apimentadas, pois podem ter efeito laxante, diminuindo a absorção de água pelo intestino, o que dá origem à diarreia. Além disso, estes alimentos também aceleram os movimentos intestinais, impedindo que a bile, uma substância verde produzida pelo fígado, sofra ação das bactérias intestinais e seja transformada em um pigmento marrom, o que acaba deixando a diarreia mais esverdeada. 

No entanto, a diarreia verde também pode ser sinal de problemas de saúde como infecção intestinal, síndrome do intestino irritável ou doença de Crohn, que geralmente podem ser identificados pela presença de outros sintomas como excesso de gases, inchaço abdominal, febre ou perda de apetite.

O tratamento da diarreia verde consiste em ingerir muitos líquidos, sais de reidratação oral e probióticos, no entanto depende muito da causa do problema. Por isso, se a duração da diarreia ultrapassar 1 ou 2 dias ou se surgirem sintomas como dor abdominal, náuseas ou vômitos, deve-se ir ao gastroenterologista para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

As principais causas de diarreia verde são:

1. Comer muitos vegetais verde escuros 

Os vegetais verde escuros como brócolis, couve, acelga, rúcula ou espinafre, são ricos em fibras que favorecem os movimentos intestinais, e geralmente, ajudam a aliviar a prisão de ventre ou a diarreia. No entanto, quando consumidos em excesso, podem deixar as fezes mais amolecidas ou líquidas, e causar diarreia, que apresenta a cor verde devido à elevada concentração de clorofila, o pigmento que dá cor às folhas.

O que fazer: geralmente a diarreia melhora em um ou dois dias após reduzir o consumo desses alimentos, não sendo motivo para preocupação. No entanto, é importante manter o corpo bem hidratado, e caso não ocorra melhora da diarreia, deve-se consultar o clínico geral para avaliar o estado de saúde e verificar se existem algum outro problema que possa estar causando a diarreia verde. 

2. Consumo excessivo de café, álcool ou comidas apimentadas 

O consumo excessivo de café, álcool ou comidas apimentadas, como pimenta malagueta ou jalapenos, por exemplo, podem acelerar a digestão, tendo um efeito laxante, o que faz com que as fezes fiquem mais líquidas, causando diarreia. Além disso, a bile não tem tempo de ficar marrom, tornando as fezes verdes.

O que fazer: deve-se consumir esses alimentos com moderação, em pequenas quantidades, para não causar efeito laxante e permitir que a bile tenha a ação esperada no intestino, não interferindo na cor das fezes e causando diarreia verde. 

3. Usar suplementos de ferro

O uso de suplementos orais contendo ferro na sua composição, para o tratamento da anemia, podem alterar a cor das fezes fazendo com que apresentem uma coloração mais escura, o que significa que o corpo está absorvendo o ferro de forma correta.

No entanto, quando o ferro dos suplementos orais não é completamente absorvido pelo intestino, pode surgir a diarreia verde escuro ou preta, como efeito colateral.

O que fazer: é recomendado consultar o médico para avaliar o tratamento e, se for necessário, mudar para outra forma de suplementação de ferro, como uso intravenoso, feito em hospital. Saiba como é o tratamento da anemia com o ferro intravenoso.

4. Usar laxantes

O uso de laxantes aumenta os movimentos intestinais, diminuindo a absorção de água pelo intestino, o que acaba deixando as fezes mais líquidas e causando diarreia.

Já a coloração verde é causada pela presença de bile não digerida. A bile é um líquido verde acastanhado, produzido no fígado que tem como função digerir a gordura da comida, e muda de cor gradualmente para marrom à medida que avança pelo intestino.

Assim, o uso excessivo ou prolongado de laxantes, além de deixar as fezes mais líquidas, não permitem que a bile mude de cor, causando a diarreia líquida. 

O que fazer: deve-se interromper o uso do laxante e, normalmente, as fezes voltam à coloração normal em 2 a 3 dias. No entanto, se não ocorrer melhora ou surgirem sintomas como cólica abdominal intensa, náusea, vômito, dor de estômago ou presença de sangue nas fezes, deve-se consultar o médico ou ir ao hospital. 

5. Infecções no intestino

A diarreia verde também pode ser provocada por infecções por Salmonella sp ou por Giardia lamblia. A infecção por Salmonella sp, é uma infecção bacteriana dos intestinos normalmente causada por comida contaminada e a diarreia verde é um dos principais sintomas, podendo também ser acompanhada de outros sintomas como enjoos e vômitos, dor abdominal, febre, sangue nas fezes, dor de cabeça e do músculo. 

Já a giardíase é uma doença causada por um parasita chamado de Giardia lamblia, que é transmitido através da ingestão de água contaminada. Além da diarreia líquida verde, podem surgir outros sintomas como gases, dor e inchaço abdominal, febre, enjoos e vômitos, perda de apetite ou desidratação.

O que fazer: é importante, em ambos os casos, beber bastantes líquidos para manter a hidratação, já que se perde muita água através da diarreia. No entanto, caso não ocorra melhora dos sintomas, deve-se consultar um clínico geral ou gastroenterologista, que pode indicar o uso de antibióticos. 

6. Usar antibióticos

O uso de antibióticos, como cefalosporinas ou penicilinas, pode perturbar o equilíbrio das bactérias que vivem no intestino, e que participam da digestão de nutrientes. Isto interfere na absorção de nutrientes e água pelo intestino, deixando as fezes amolecidas ou líquidas.

Além disso, as bactérias boas do intestino são responsáveis pelo processamento da bile, que quando não sofre alteração, por falta de bactérias, não muda de cor, causando a coloração verde.

O que fazer: é importante não interromper o tratamento com antibióticos sem o conhecimento do médico, por isso, deve-se entrar em contato com o médico e informar a presença de diarreia. Durante o tratamento, deve-se manter o corpo hidratado, bebendo pelo menos 8 copos de água por dia. Além disso, o uso de alguns probióticos podem ajudar a regular as bactérias intestinais e a melhorar a diarreia verde. Confira a lista dos melhores alimentos e suplementos probióticos para diarréia.  

7. Intestino irritável ou doença de Crohn

Pessoas com doença de Crohn, síndrome do intestino irritável ou colite ulcerosa podem também ter diarreia verde, devido à má digestão das gorduras e à inflamação da mucosa intestinal, associadas a outros sintomas como dor abdominal ou excesso de gases. 

Além disso, pessoas que tenham removido a vesícula biliar, também podem ter as diarreia verde, porque como a bile produzida no fígado não é armazenada na vesícula biliar, vai passando para o intestino, conferindo assim uma coloração verde às fezes.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento indicado pelo gastroenterologista, além de seguir uma dieta adequada de acordo com a orientação de um nutricionista, e assim, evitar a piora da diarreia ou a piora dos sintomas. 

Diarreia verde na gravidez

A diarreia verde na gravidez acontece principalmente devido ao uso de suplementos vitamínicos pré-natais, prescritos pelo obstetra, contendo ferro na sua composição, e geralmente, não é motivo de preocupação. É importante que a grávida continue tomando as vitaminas nas doses recomendadas pelo médico e beba pelo menos 8 copos de água por dia.

No entanto, se a diarreia verde não melhorar em 3 dias, ou for acompanhada de febre, náuseas, vômitos, dor nas costas, dor do lado direito do abdômen, cólica ou inchaço, deve-se procurar atendimento médico imediatamente ou o pronto socorro mais próximo.

O que podem ser as fezes verdes em bebês

Nos primeiros dois a três dias após o parto, é normal o bebê apresentar fezes moles, pegajosas, preto-esverdeadas, que é o mecônio, as primeiras fezes do bebê que contém substâncias que foram liberadas no intestino do bebê durante a gestação. 

Após três a cinco dias as fezes do bebê passam por uma fase de transição, devido ao aleitamento materno, adquirindo a cor marrom por volta do sexto dia.

Para bebês alimentados por fórmulas infantis, as fezes verdes podem continuar durante mais tempo, devido provavelmente ao ferro presente na composição das fórmulas. No entanto, essa cor também pode ser devida a uma infecção, mudança do leite, intolerância a algum alimento, presença de bile, ingestão de frutas ou verduras de cor esverdeada ou mesmo devido ao uso de remédios. Veja o que cada cor das fezes do bebê pode indicar

Quando ir ao médico

É importante procurar ajuda médica se a diarreia verde durar mais de 3 dias ou for acompanhada de sintomas como:

  • Náuseas ou vômitos;
  • Dor abdominal;
  • Dor de estômago;
  • Febre;
  • Sangue nas fezes;
  • Presença de muco nas fezes.

Além disso, deve-se procurar atendimento médico imediato ou o pronto socorro mais próximo caso a pessoa apresente sintomas de desidratação como urina escura, boca seca ou pegajosa, cansaço excessivo, tontura, dor de cabeça, confusão mental ou desmaio.