• ter. set 21st, 2021

Com Saber e Saúde

Dicas de Saude – dietas – regimes – alimentaçao

Repelentes: tipos, qual escolher e como usar

Byadmin

ago 24, 2021
Repelentes: tipos, qual escolher e como usar

As doenças transmitidas por insetos afetam milhões de pessoas em todo o mundo, causando doenças em mais de 700 milhões de pessoas por ano, principalmente em países tropicais. Por isso, é muito importante apostar na prevenção, que inclui o uso de repelentes capazes de prevenir as picadas e evitar doenças.

Os repelentes tópicos, que são os repelentes para aplicar na pele, podem ser sintéticos ou naturais, que atuam formando uma camada de vapor na pele, com um odor que repele os insetos, como os repelentes que possuem DEET, icaridina, IR3535 o óleos essenciais de ervas em sua composição.

Além dos repelentes, para evitar as picadas e combater os mosquitos, podem ainda ser adotadas outras medidas, principalmente em locais fechados, como refrigeração da casa com ar condicionado, utilizar mosquiteiros, por exemplo.

Repelentes tópicos

Algumas das substâncias mais usadas nos repelentes tópicos são:

1. DEET

O DEET é o repelente mais eficaz atualmente disponível no mercado. Quanto maior a concentração da substância, mais longa será a duração da proteção do repelente, porém, quando é usado em crianças, deve-se optar por uma concentração de DEET mais baixa, inferior a 10 %, que tem menor duração de ação e, por isso, deve ser aplicado com mais frequência, de forma a manter a proteção em crianças maiores de 2 anos.

Alguns dos produtos que têm DEET na composição, são:

RepelenteConcentraçãoIdade permitidaTempo de ação estimadoAutan6-9> 2 anosAté 2 horasOFF loção6-9> 2 anosAté 2 horasOFF aerossol14> 12 anosAté 6 horasSuper repelex loção14,5> 12 anosAté 6 horasSuper repelex aerossol11> 12 anosAté 6 horasSuper repelex kids gel7,342 anosAté 4 horas

2. Icaridina

Também conhecida por KBR 3023, a icaridina é um repelente derivado da pimenta que, segundo alguns estudos, apresenta uma eficácia de 1 a 2 vezes maior que a DEET, contra o mosquito Aedes aegypti. 

Repelente ConcentraçãoIdade permitidaTempo de ação estimadoExposis Infantil gel20> 6 mesesAté 10 horasExposis Infantil spray25>  2 anosAté 10 horasExposis Extreme25> 2 anos Até 10 horasExposis Adulto25> 12 anosAté 10 horas

Uma vantagem destes produtos é que possuem um tempo de ação prolongado, até cerca de 10 horas, no caso de repelentes com 20 a 25% de concentração de Icaridina.

3. IR 3535

O IR 3535 é um biopesticida sintético que possui um bom perfil de segurança, sendo, por isso, o mais recomendado para grávidas, possuindo uma eficácia semelhante em relação ao DEET e à icaridina.

Este produto também poder ser usado em crianças com idade superior a 6 meses, e tem uma duração de ação de até 4 horas. Um exemplo de repelente com IR3535 é a loção antimosquito ou o Xtream spray da Isdin.

4. Óleos naturais

Os repelentes à base de óleos naturais contêm essências de ervas, como frutas cítricas, citronela, coco, soja, eucalipto, cedro, gerânio, hortelã ou erva-cidreira, por exemplo. Em geral, são muito voláteis e, por isso, na maior parte dos casos têm um efeito de curta duração.

O óleo de citronela é um dos mais usados, mas recomenda-se a sua aplicação a cada hora de exposição. Além disso, alguns estudos comprovam que o óleo de eucalipto-limão, em concentrações de 30% é comparável ao DEET de 20%, conferindo proteção até 5 horas, sendo, por isso, o mais recomendado dos óleos naturais e uma boa alterativa para pessoas que por algum motivo não podem usar o DEET ou a icaridina.

Repelentes: tipos, qual escolher e como usar

Repelentes físicos e ambientais

Geralmente, os repelentes não tópicos são indicados como auxiliares aos repelentes tópicos ou em crianças menores de 6 meses, que não podem utilizar esses produtos.

Assim, nesses casos, podem ser adotadas as seguintes medidas:

  • Manter ambientes refrigerados, já que os insetos preferem ambientes quentes;
  • Utilizar mosquiteiros simples ou com permetrina nas janelas e/ou em torno das camas e dos berços. Os poros dos mosquiteiros não devem ser maiores que 1,5 mm;
  • Optar por vestir tecidos claros e evitar cores muito chamativas;
  • Utilizar incensos e velas naturais, como a andiroba, lembrando que o seu uso isolado pode não ser suficiente para proteger da picada do mosquito e que só têm ação quando aplicados por horas contínuas e iniciados antes da exposição da pessoa ao ambiente.

Estas são boas opções para grávidas e crianças com menos de 6 meses de idade. Veja outros repelentes adaptados para estes casos.

Repelentes sem eficácia comprovada

Embora sejam muito utilizados na prática clínica e alguns deles sejam aprovados pela ANVISA, alguns repelentes podem não ser suficientemente eficazes para evitar a picada de inseto.

As pulseiras embebidas em repelentes com DEET, por exemplo, só protegem uma pequena região do corpo, até cerca de 4cm da área em torno da pulseira, por isso, não se pode considerar um método suficientemente eficaz.

Os repelentes ultrassônicos, dispositivos elétricos luminosos com luz azul e instrumentos eletrocutores também não se mostraram suficientemente eficazes em diversos estudos.

Como aplicar corretamente o repelente

Para ser eficaz, o repelente deve ser aplicado da seguinte forma:

  • Passar o repelente em várias áreas do corpo, tentando evitar distâncias superiores a 4 cm;
  • Evitar o contacto com mucosas, como olhos, boca ou narinas;
  • Reaplicar o produto conforme o tempo de exposição, a substância usada, a concentração do produto, e as orientações descritas no rótulo.

Os repelentes devem ser aplicados apenas em áreas expostas e, depois da exposição, deve-se lavar a pele com água e sabão, principalmente antes de dormir, de forma a evitar contaminar os lençóis e roupas de cama, impedindo uma fonte contínua de exposição ao produto.

Em locais de elevada temperatura e umidade, a duração do efeito do repelente é menor, sendo necessárias reaplicações mais frequentes e, em caso de atividades na água, o produto é mais facilmente removido da pele, por isso, recomenda-se a reaplicação do produto quando a pessoa sair da água.